Tag mídias sociais

Dados do Twitter mostram que já começou o aquecimento para a Black Friday 2020

Apesar de ser uma tradição típica dos norte americanos, a Black Friday já se transformou em um dos principais eventos de compras ao redor do mundo. É a data esperada por muitos para “colocar no carrinho” alguns itens da lista de desejos, e cada vez mais as pessoas têm se organizado para aproveitar estes dias de promoções e descontos. A Black Friday será realizada na última sexta-feira de novembro (27), mas a preparação para as compras começa muito antes. Uma pesquisa realizada no Twitter aponta que as pessoas não estão deixando para ir atrás dos produtos na última hora: comparado com anos anteriores, houve uma queda de 24% em relação a quem deixava para pesquisar/comprar somente no dia do evento, e 66% das pessoas afirmam que procuram lojas/produtos pensando na #BlackFriday com, pelo menos, uma semana de antecedência.

Com isso em mente, as marcas que têm intenção de fazer parte desta conversa precisam se preparar com antecedência, já que as semanas que precedem o dia 27 de novembro são decisivas para engajar e conquistar o público. No último ano, por exemplo, já era possível encontrar, no Twitter, conversas sobre o assunto no mês de setembro; quase um milhão de Tweets foram publicados entre os dias 22 de setembro até 28 de novembro, sendo que 90% desses aconteceram na semana da pré-Black Friday. Em 2020, o Twitter já tem registrado picos expressivos de conversas sobre o tema, com destaques para os dias 29 de setembro, 13 e 28 de outubro, o que indica que as pessoas já estão falando sobre a data na plataforma.

Além disso, é importante salientar que as pessoas vão até a plataforma para conversar sobre o que querem comprar, ouvir opiniões, pesquisar melhores ofertas /dicas, comparar e compartilhar suas experiências. Assim, é importante que as marcas entendam a necessidade da credibilidade para se destacar nas conversas e conquistar o público.

“Os dados mostram que as pessoas que estão no Twitter têm bastante interesse e engajamento com quem está falando sobre a Black Friday e o serviço aparece como um importante aliado na conquista destes consumidores. É possível estabelecer conexões legítimas entre pessoas, produtores de conteúdo e até marcas que saibam entrar na conversa, justamente pela plataforma contar com uma audiência disposta a conhecer coisas novas, com uma mentalidade aberta a descobrir e comentar sobre tendências e movimentos. 36% da audiência declarou que o Twitter as faz conhecer marcas, produtos ou lojas. Além disso, 32% buscam informações/sites relacionados sobre produtos e marcas que viram no Twitter; 43% procuram opiniões e recomendações sobre produtos que quer comprar; e 35% disseram que comprariam um produto com base no que viram no Twitter”, explicou Camilla Guimarães, gerente da área de Pesquisa do Twitter Brasil.

As marcas mais mencionados na Black Friday 2019:

• McDonald’s ( @McDonalds_BR )

• Burger King ( @BurgerKingBR )

• Nike ( @Nike )

• Nubank ( @nubank )

• Apple ( @Apple )

• Tupperware ( @tupperware )

• Dell ( @DellnoBrasil )

• Centauro ( @centauroesporte )

• Adidas ( @adidasbrasil )

• Amazon ( @amazonBR )

• Brahma ( @BrahmaCerveja )

• iFood ( @iFood )

• Magazine Luiza ( @magazineluiza )

• Samsung ( @SamsungBrasil )

• Cinemark ( @cinemarkoficial )

Tags, , , , ,

Squid lança solução que metrifica sentimentos em comentários nas redes sociais

Squid, empresa líder em marketing de influência e comunidades no Brasil, acaba de lançar em parceria com a Got It, startup paranaense de programação neurológica, uma solução que consegue metrificar os sentimentos em comentários e legendas de publicações nas redes sociais. Por meio de inteligência artificial e programação neurolinguística, será possível realizar as análises de forma automática, para metrificar as emoções que cada pessoa sente quando reage a uma postagem, compreendendo se são positivas, negativas e neutras e os sentimentos contidos e texto e emoji. Essa solução é exclusiva e pioneira no país.

“Essa nova atualização trabalha em duas etapas, na pré campanha, pois vamos compreender os sentimentos e emoções do conteúdos dos influenciadores e assim, prever como a audiência pode reagir e, por fim, entregar relatórios intuitivos e com riqueza de detalhes que ajudam a compreender a performance das ações. Com essa novidade, trazemos transparência para o mercado, por meio de dados analíticos completos. Isso nos coloca na posição de ser a única empresa no Brasil com esse tipo de leitura”, diz Fausto Matsuda, CIO da Squid.

De acordo com Rodrigo Streithorst, CEO da Got It, a parceria das startups vai impactar o mercado de forma positiva, levando uma solução inovadora e única no mercado “A análise de sentimentos nos textos já é um serviço consolidado, mas o que estamos trazendo é uma forma totalmente nova de compreender a comunicação nas redes, porque é além da escrita. Estamos categorizando os sentimentos de emojis que também é um diálogo importante gerado no digital. Unindo nossa tecnologia com a da Squid vamos trazer insights e dados precisos de como as pessoas reagem, de acordo com o que é compartilhado”, finaliza Rodrigo.

Para os emojis, a tecnologia consegue dimensionar o teor, qual tipo de emoção foi demonstrada ali e também se é um sentimento feliz ou triste, por exemplo. A Squid também visa avançar mais um ponto em sua tecnologia, uma vez que os comentários revelam muito mais sobre o engajamento das marcas e influenciadores, do que as curtidas ou visualizações. “É muito importante entender o que o público sente quando comenta em um post, ou ainda como ele reage a determinadas campanhas. Hoje em dia o engajamento se mede pelas emoções”, analisa Matsuda.

Tags, , ,

Levantamento do Twitter aponta que 30% das pessoas irão usar mais aplicativos de mensagens depois da pandemia

Um levantamento realizado pelo Twitter, a partir de dados de pessoas que utilizaram o serviço durante os seis primeiros meses do ano, aponta que novos hábitos digitais impulsionados pelo isolamento tendem a permanecer após a pandemia do Coronavírus no Brasil. A presença da tecnologia na vida das pessoas deve aumentar – 30% delas afirmam que continuarão a usar mais aplicativos de mensagens depois da quarentena e isolamento, e as ligações por vídeo, que anteriormente eram utilizadas apenas para conexões com pessoas distantes, tendem a ficar em alta. O alento de muitos tem sido conversar com entes queridos e amigos pelas telas de celulares e computadores nos últimos tempos. Por isso, 35% das pessoas no Twitter pretendem usar mais ligações por vídeo mesmo após o fim do isolamento.

O estudo, que apontou seis comportamentos e estados de espírito que, ou emergiram, ou foram acelerados por conta do isolamento, apresenta um panorama sobre como as pessoas estão vivendo e como estão lidando com as dificuldades originadas desse período. “As pessoas tiveram que se manter fisicamente distante umas das outras, porém, na realidade, o distanciamento social não existiu de fato. Graças à toda essa tecnologia, muitos se mantiveram mais conectados do que nunca. As vídeo-conferências tomaram conta da rotina de todos. A socialização passou a ser feita, ainda mais, de maneira virtual”, explicou Camilla Guimarães, gerente da área de Pesquisa do Twitter Brasil. “Foram realizadas inúmeras festas remotas ou watch parties para assistir lives de shows, por exemplo. O modo de socializar se tornou fundamentalmente digital e alguns desses novos hábitos muito provavelmente irão permanecer além da pandemia. Para se ter uma ideia deste crescimento, os termos ‘Lives’ e ‘watch parties’ foram mencionados 10x mais do que eram anteriormente”, prosseguiu.

O uso das redes sociais também devem ficar em alta, com 32% de pessoas dizendo que vão manter o uso após a quarentena. Inclusive, uma das coisas que mais foi vista nos últimos tempo foi o crescimento de conteúdo especial para as redes. De acordo com o levantamento, uma em cada três pessoas afirmam estar criando mais conteúdos de vídeo para internet.

Algumas premissas utilizadas pela plataforma para a organização deste levantamento de dados que contempla o que foi dito no Twitter durante os primeiros seis meses do ano. Por mais que os números e informações sejam relevantes, é impossível garantir como, de fato, será o futuro. Mudanças de comportamento são lentas, complexas, e estruturais. Também é preciso levar em conta que o Covid-19 não aconteceu em um vácuo, e sim em um mundo já complexo e de muitas formas agiu como um acelerador de crises. São quase 8 bilhões de histórias diferentes, sendo que a percepção e reflexos de tudo isso pode ser diferente entre pessoas que convivem dentro da mesma casa. Por último, é necessário destacar que a situação ainda está evoluindo e se desenvolvendo dia após dia, sendo um bom momento serem levantados questionamentos sobre o que é considerado normal.

Este isolamento pesou para a maioria das pessoas, impactando fisicamente e emocionalmente. Muitos estão experimentando emoções intensas e oscilantes no dia a dia. A expectativa, pelo que mostra o levantamento realizado no Twitter, é que essa oscilação se mantenha alta até que a situação esteja completamente sob controle. Um termômetro disso é o uso dos emojis na plataforma, já que as “figurinhas” têm como objetivo sintetizar o que cada um está sentindo. Ao observar os mais usados durante o isolamento, fica claro como as coisas têm sido inconstantes.

A análise engloba desde a maneira como as pessoas têm lidado diretamente com o distanciamento social até como as compras tem sido realizada nos últimos meses. Os comportamentos são: Fisicamente distantes, socialmente conectados; Explorando a criatividade; #AsOutrasEpidemias; Em busca de um novo ritmo; Carrossel de Emoções; Consumo contraditório.

Saiba mais sobre o levantamento nos links:

Novas conversas: análise de comportamentos durante a pandemia

Novas conversas: os seis comportamentos

Tags, , ,

Especialista dá três dicas para empresas e profissionais se darem bem com o uso do TikTok

Engana-se redondamente quem ainda pensa que a rede social do momento serve apenas para mostrar vídeos curtos, divertidos e de entretenimento com aquelas danças divertidas feitas pelo próprio usuário, ou sozinho ou na roda de amigos. Além de atrair fiéis seguidores de todo o mundo, o TikTok já começou a chamar a atenção de profissionais liberais, de pequenas e até mesmo grandes empresas interessadas em engajar mais consumidores e, consequentemente, otimizar seus negócios.

Hoje, o TikTok conta com mais de 15 milhões de usuários no Brasil, segundo estimativas de especialistas em mídias sociais no país. E esse número não para de crescer com o avanço da rede social chinesa junto à população. Por conta disso, grandes corporações como o Magazine Luiza, a Netflix, além de artistas como humorista Whindersson Nunes, o ex-BBB Pyong Lee e a cantora Anitta já fazem sucesso com vídeos.

Ao todo, o TikTok já é a quarta maior rede social do mundo em número de usuários, com 1,5 bilhão de internautas mensais. Deste total, 500 milhões são apenas na China, seu país de origem, segundo o estudo feito pela Infobase Interativa. O TikTok se tornou o terceiro aplicativo mais baixado do ano na Apple Store e Google Play Store e ultrapassou o Facebook e Instagram. Ficou atrás do WhatsApp e Facebook Messenger.

Por essas e outras, os mais diversos profissionais e empresas têm percebido que trata-se de uma ferramenta estratégica de marketing e divulgação de suas atividades.

“O TikTok é uma tendência de agora e tem espaço ainda maior para crescer no Brasil. Por isso, é uma oportunidade de ampliar o sucesso dos negócios com o engajamento do público nessa rede social, já que os vídeos são facilmente compartilhados para muitas pessoas e têm grande alcance e distribuição”, destacou Kim Archetti, especialista em comunicação disruptiva e um dos maiores especialistas em estratégias para o uso de TikTok por empresas e profissionais liberais.

Em meio a essa tendência cada vez mais presente no mercado brasileiro e até mesmo mundial, Kim Archetti apresenta três dicas para as empresas e profissionais se darem bem com o uso do TikTok:

Humanizar o contato
Os usuários da rede social se identificam com pessoas e personalidades ao visitar os vídeos postados. Assim, as companhias devem trabalhar sua imagem por meio de uma figura física que represente muito bem a imagem da empresa. Nesse caso, Kim ressalta que pode ser o dono ou um presidente ou um CEO da determinada companhia ou mesmo um influenciador que tenha uma grande identificação com a marca.

“É ideal que a empresa ou o profissional liberal adote um padrão que seja o mais próximo do usuário, por meio da humanização junto ao público. Isso dá mais propriedade e os usuários se sentirão mais atraídos e engajados, pois o público confia mais nas pessoas, e não nas logomarcas como antigamente”, explica o especialista.

Como exemplo dessa dica, Kim destaca a ação do Magazine Luiza, que utilizou a personagem Lu para representar a marca e a CEO da rede varejista, Luiza Helena Trajano. Sucesso de público na rede social, a estratégia traz a figura da companhia de forma humanizada aos usuários de TikTok.

Posicionamento e linguagem certa
As empresas e os profissionais interessados em entrar no TikTok precisam ter posicionamento. Para o especialista, quanto mais evidente a posição da empresa, mais altas serão as chances do vídeo viralizar entre as pessoas.

“Conteúdos de sucesso são aqueles que mostram o posicionamento da marca porque o usuário não quer perder tempo com quem não tem decisão firme sobre seus pensamentos e apoios”, avalia.

O discurso, segundo Kim, deve ser devidamente alinhada com a linha adotada pela companhia. Mas, para suavizar o contato com o público, ele aconselha usar humor, porém, se errar na medida certa. “Se for possível, é indicado conversar com o público de forma bem humorada e com leveza no TikTok. Além disso, o tempo médio de captação de atenção do público nos vídeos é em torno dos três primeiros segundos. Por isso, a linguagem deve ser poderosa e assertiva.”

Lives
Os vídeos ao vivo aumentam muito o alcance do conteúdo. Com as lives, é possível levar a marca para os usuários que não sabem sobre uma determinada empresa ou profissional. Kim também explica que o TikTok leva os conteúdos para todos os seguidores, diferentemente de outras redes sociais. Por isso, pode duplicar de alcance caso a empresa trabalhe com transmissões em tempo real na rede social.

“Os vídeos do Tik Tok são um convite para conhecer a marca, pois o usuário não entra na rede social para comprar algum produto. Ao navegar nessa rede, a pessoa pode encontrar marcas interessantes. O sucesso é mostrar conteúdo relevante e, por isso, os primeiros segundos são importantíssimos. Devem prender a atenção do usuário. A ferramenta é ágil, rápida e inovadora. Vale muito a pena as marcas estarem presentes nesse espaço disruptivo”, esclarece.

A presença do TikTok nas outras redes também é relevante para as empresas se posicionarem bem na internet e ter mais visibilidade entre o público consumidor, analisa Kim. “A ascensão do TikTok é grande. Devido a esse contexto, é bom as companhias e os profissionais marcarem presença nela por ser possível ver vídeos do TikTok em vários outros lugares como WhatsApp, Facebook, Twitter e Instagram”, completa Kim.

Tags, ,

Instagram cresce na pandemia e audiência já é 31% maior que a do Facebook, revela estudo

Novo estudo da Socialbakers, plataforma líder global em soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, revela que o Instagram ampliou sua liderança sobre o Facebook durante a pandemia. Em termos de audiência global, a rede social ampliou para 31,2% a vantagem que era de 28% no primeiro trimestre de 2020.

O total de interações no Instagram foi 18,7 vezes maior do que no Facebook entre os meses de abril, maio e junho. As marcas, no entanto, publicaram mais conteúdo no Facebook, que recebeu cerca de 70% de todas as postagens dos 50 maiores perfis de empresas, mesmo com a interação nessa rede social sendo muito menor do que no Instagram.

O Instagram quase bateu seu próprio recorde de interações no final de junho, e durante o período raramente ficou abaixo de 80%. Já no Facebook, o envolvimento com as postagens diminuiu significativamente, passando de 100% em março para 50,8% durante os meses de abril, maio e parte de junho, antes de aumentar novamente no final de junho, quando voltou aos níveis normais. “O Instagram está se tornando a plataforma de mídia social número um quando se trata de engajamento de marcas. Quando olhamos para o engajamento em um nível absoluto, o Instagram tem um alcance maior por marcas do que o Facebook”, explica Alexandra Avelar, country manager da Socialbakers.

No Brasil, a quantidade de postagens feitas tanto no Instagram quanto no Facebook é quase a mesma. Porém, ao contrário do que ocorre no mundo, a audiência das marcas ainda é maior no Facebook, mesmo que a quantidade de interações nessa mídia social seja muito menor do que no Instagram.

“O Instagram teve um aumento de atividade, a plataforma quase atingiu seu pico relativo das interações no final do trimestre. Além disso, vimos um crescimento do público-alvo e interações totais no Instagram das 50 maiores marcas na rede social. Esse panorama mostra que o caminho seguirá positivo para o Instagram no futuro. A plataforma continua sendo altamente eficaz para promover o engajamento e alcançar grandes públicos e é cada vez mais o lugar certo para as empresas se mostrarem de maneira criativa, estimularem engajamento e aumentarem o reconhecimento da marca “, explica Alexandra.

Uma outra descoberta presente no relatório atual da Socialbakers é que os posts de carrossel, que permitem a publicação de até 10 imagens e vídeos, têm superado consistentemente a imagem e o vídeo usados separadamente. E, com a média de 150,5 interações, alcançou o maior engajamento dos últimos 15 meses.

As principais marcas publicaram mais postagens no Facebook, mas o engajamento nessas postagens não atingiu os números alcançados no Instagram. Conclusões do novo relatório Social Media Trends Report Q2 2020 da Socialbakers foram feitas com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil, entre abril e junho de 2020.

Metodologia do relatório


Os Social Media Trends Reports refletem o banco de dados da Socialbakers no início do trimestre seguinte ao trimestre do relatório. Os dados são extraídos uma vez e não são atualizados entre as liberações.

Tags, , , ,

Astute anuncia aquisição da Socialbakers para fortalecer a oferta de experiência do cliente com marketing de mídia social

A Astute Inc., empresa líder em engajamento com o cliente e plataforma Voice of the Customer, anunciou nesta quarta-feira (09) a aquisição da Socialbakers, plataforma líder global em soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais. A aquisição permitirá que marcas globais gerenciem pesquisa, conteúdo, engajamento, escuta social e VoC em uma única plataforma de software como serviço (“SaaS”).

A plataforma de marketing de mídia social baseada em inteligência artificial da Socialbakers é usada por mais de 2.500 empresas grandes e de médio porte em todo o mundo. Ela permite que as marcas alcancem e se envolvam com o público em todos os canais de mídia social por meio de uma plataforma unificada. Com os consumidores gastando cada vez mais tempo descobrindo conteúdo, engajando-se com marcas e comprando produtos online, a mídia social se tornou o principal canal para as empresas oferecerem uma experiência excepcional ao cliente, desde o primeiro ponto de contato até o atendimento pós-compra.

As soluções atuais baseadas em inteligência artificial da Astute cobrem uma ampla gama de aplicações, incluindo uma plataforma omnichannel robusta de engajamento do cliente, voz do cliente e sistemas de gerenciamento de relacionamento com o cliente (“CRM”). A Astute é uma solução para todos os canais em que os consumidores de hoje desejam interagir com as marcas, eliminando o atrito e, ao mesmo tempo, capturando dados próprios para gerar insights sobre os negócios. A empresa tem apoiado iniciativas de melhoria da experiência do cliente de marcas globais por 25 anos.

“Os limites entre atendimento ao cliente, experiência do cliente e marketing estão cada vez mais confusos, apresentando desafios reais para as empresas”, diz Mark Zablan, CEO da Astute. “Combinar as capacidades de marketing de mídia social da líder de mercado, Socialbakers, com o pacote de engajamento da Astute não apenas ajuda nossos clientes a enfrentar este desafio de forma mais eficaz, mas também representa um marco importante na jornada da Astute para se tornar a plataforma de engajamento do cliente que o CCO precisa para ter sucesso.”

“A demanda do consumidor por uma excelente experiência omnichannel significa que as marcas estão procurando uma plataforma unificada para gerenciar a jornada do cliente em todos os pontos de contato”, comenta Yuval Ben-Itzhak, CEO da Socialbakers. “Estamos muito entusiasmados em nos juntar à Astute para fornecer às marcas uma plataforma integrada de experiência do cliente, permitindo que eles ofereçam o melhor em toda a jornada omnichannel. Hoje, muitas marcas já estão aproveitando as plataformas da Socialbakers e Astute, e estamos ansiosos para expandir nossa oferta combinada para marcas e negócios em todo o mundo.”

Esta transação marca um passo importante na missão da Astute de se tornar a plataforma de escolha do CTO. O ímpeto da empresa também é evidenciado por desenvolvimentos recentes, como a adição do experiente executivo de tecnologia SaaS Mark Zablan como CEO, adquirindo percepções de liderança de voz do cliente, trazendo novos parceiros como The Emerson Group e ganhando vários prêmios, incluindo o Prêmio Stevie® 2020 como a Empresa de Tecnologia Mais Inovadora, e do Business Intelligence Group como Melhor Empresa Para Trabalhar.

Gilberto Campos - Mundo Digital

Tags, , , , ,

Finais dos estaduais e início do Campeonato Brasileiro mantêm alto patamar de adesão às redes sociais dos clubes de futebol no Brasil

O IBOPE Repucom destaca a manutenção alto volume de crescimento de novas inscrições nas plataformas oficiais dos clubes de futebol no Brasil. A definição dos campeões estaduais e o início do Campeonato Brasileiro contribuíram para a manutenção do forte crescimento pós paralisação do futebol. Apenas no último mês, foram registradas 4 milhões de novas inscrições. Este é o segundo maior volume mensal de novas inscrições desde janeiro de 2017, atrás apenas do recorde histórico de 4,7 milhões registradas no mês de julho/2020.

O Flamengo liderou o crescimento mensal pelo 20º mês consecutivo ao somar 980 mil novos inscritos, sobretudo em seu TikTok (51% do total). Desde janeiro de 2019 o clube somou 13,9 milhões de novos inscritos e viu sua base digital aumentar quase 40% no período. Assim como em julho, além de liderar o crescimento geral, o clube ainda foi líder de crescimento em todas as demais plataformas.

O Corinthians ultrapassou a marca de 24 milhões de inscrições no cominado de suas redes oficiais. Ao todo, foram 624 mil inscrições, seu melhor desempenho mensal de 2020. Seu perfil oficial no TikTok foi responsável por 65% de todas as inscrições do clube.

O Palmeiras fechou o pódio ao somar 410 mil inscritos em suas redes e registrar seu melhor desempenho no ano e possivelmente motivado pela conquista do Campeonato Paulista. O resultado alviverde de somente do mês de agosto foi similar ao acumulado do clube entre janeiro a julho (426 mil inscrições). De cada 10 novas inscrições palmeirenses no último mês, 6 vieram de seu perfil recém-criado no TikTok, que conta com mais de 400 mil inscritos e já é o 4º maior entre os clubes de futebol brasileiros.

Pelo segundo mês consecutivo o Vasco figurou entre os maiores crescimentos do ranking. O clube obteve o quarto maior crescimento (235 mil) com participação de 35% da “Vasco TV”, seu canal oficial no YouTube e de 32% de sua conta no TikTok.

O São Paulo completa o TOP 5 maiores desempenhos mensais de agosto. O Tricolor Paulista agregou 234 mil novos inscritos à sua base digital, 74% deles via seu perfil no TikTok. O clube é o com maior participação do TikTok em seu resultado mensal entre os 10 maiores clubes do ranking

O Internacional somou mais de 100 mil novos inscritos, ultrapassou a Chapecoense e, após 45 meses, voltou a figurar entre os 10 maiores clubes do ranking. Para atingir este resultado, o Colorado contou com seu TikTok, que foi responsável por 65% dos novos inscritos do clube.

Pelo segundo mês consecutivo, o TikTok foi a principal fonte de novos inscritos para os clubes de futebol no Brasil. Cerca de 60% dos clubes com perfis oficiais na plataforma, ou seja, para 25 dos 42 clubes a maioria de seus novos inscritos são originárias da nova rede social. Atualmente, os clubes nacionais somam 6,2 milhões de inscritos em seus perfis no TikTok, com crescimento de mais de 200% desde maio/2020, quando entrou oficialmente para a medição regular do IBOPE Repucom.

O Paraná avançou duas posições e figura na 32ª posição, enquanto CRB, Vila Nova, Red Bull Bragantino e Atlético Goianiense avançaram uma posição cada. Destaque para o Campinense, que ultrapassou o Londrina e conquistou a 50ª posição, passando a figurar no ranking digital, segundo critério do estudo.

Veja abaixo o levantamento completo:

Fonte: IBOPE Repucom – Ranking digital dos clubes brasileiros
Link: http://www.iboperepucom.com/br/rankings/ranking-digital-dos-clubes-brasileiros-set-2020/
O levantamento é divulgado mensalmente pelo IBOPE Repucom e tem o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das bases digitais dos 50 clubes com o maior número de seguidores do país.

Tags, , , , ,