Author admin

CEO da Foxbit adquire NFT da Havaianas por 0,28 ETH cerca de R$5.600

João Canhada, CEO da Foxbit, adquiriu o primeiro NFT (token não-fungível), lançado pela Havaianas, do grupo Alpargatas, a cripto arte faz parte do coleção “Felicidade” e foi adquirida por 0,28 ETH (Ethereum), cerca de R$5.600. Ao todo serão cinco artes digitais inéditas desenvolvidas em colaboração com o designer e artista brasileiro Adhemas Batista.

“Estou muito orgulho em ser o primeiro comprador do NFT da Havaianas, uma marca que faz parte da minha infância e que consumo seus produtos até hoje. É um momento histórico para a Alpargatas e para o mercado de NFT, na qual estou aprendendo e me aprofundando cada dia mais sobre ele. Além claro de ajudar com o dinheiro doado” revela João Canhada, CEO da Foxbit.

Parte do valor arrecadado com a venda (7% do lucro líquido) será destinado à Favela Galeria, museu de arte a céu aberto, localizado na zona leste de São Paulo.

A arte está disponível no site https://foundation.app/havaianas/happy-feet-34092

47% das empresas pretendem investir nos canais digitais e priorizar as vendas através do Whatsapp, segundo pesquisa

Uma pesquisa inédita, que entrevistou 1.044 consumidores de todo o país e 1.014 empresas do segmento de varejo, serviços, educação, saúde, infraestrutura, tecnologia e finanças, aponta que 76% das empresas acreditam oferecer uma boa experiência para os seus clientes, porém apenas 49% dos consumidores têm uma percepção positiva das experiências que vivenciam com as marcas de uma forma geral, segundo o relatório da CX Trends 2021, realizada pela Octadesk, startup que auxilia marcas a venderem e atenderem via canais digitais, e pela Opinion Box.

De acordo com Rodrigo Ricco, CEO e fundador da Octadesk, percebe-se uma mudança de comportamento do consumidor e as empresas foram forçadas a digitalizar o modelo de negócio. “50% dos consumidores já compraram através do Whatsapp durante o último ano, e 24% ainda pretendem realizar a primeira compra por meio do app em 2021”, comenta. O estudo ainda traz que, por conta desses novos hábitos, neste ano as PMEs pretendem investir nos canais digitais, 25%, e potencializar as vendas através do Whatsapp, 22%.

A pandemia foi outro motivo para essa alteração de comportamento no ano de 2020, e devido ao distanciamento social as empresas precisaram utilizar novos canais digitais para se comunicar com seus clientes. O Whatsapp também foi o canal mais adotado nesse período por 23% das marcas, seguido por Instagram, 17%, e-mail, 16%, chat no site, 15%, e Facebook, 15%.

A CX Trends também revela informações sobre os principais desafios das empresas em oferecer um atendimento ao cliente com qualidade: 27% dos empreendedores entrevistados apontam o atendimento ágil, outros 27% sobre o suporte personalizado, enquanto 25% citam os canais de contato 24hrs. “Ferramenta como chatbot é um grande aliado das empresas em oferecer esse primeiro contato de forma ágil, de domingo a domingo, em qualquer hora do dia. 35% das empresas pretendem contratar esse tipo de serviço em 2021”, destaca Ricco. O levantamento pode ser baixado na íntegra através deste link .

Estreia de “No Limite” movimenta o Twitter com mais quase 300 mil citações ao reality

O novo reality da Globo “No Limite” estreou na última terça, 11, e movimentou as redes sociais. Para entender o sentimento dos brasileiros com relação ao programa, a Knewin, maior PRTech da América Latina analisou 271.951 mil tuítes entre os dias 24 de abril e 11 de maio. No dia 11, dia da estreia oficial, ocorreu o pico de menções com 43.183 mil tuítes.

No período analisado, os assuntos em destaque no Twitter foram a contagem regressiva feita pela conta oficial dos participantes em conjunto com suas torcidas; as reações dos usuários à lista de participantes e as críticas e memes sobre a baixa qualidade das montagens feitas para a conta oficial do programa. No dia da estreia, a ansiedade foi o maior tema entre os usuários, curiosos para ver como seriam o programa e as provas.

De acordo com o monitoramento da Knewin Social, a hashtag mais usada foi #nolimite, com mais de 72 mil menções. A conta do programa ultrapassou 24 mil tuítes. O participante mais citado foi o ex-BBB Arcrebiano, com mais de 35 mil tuítes.

Segundo a análise da Knewin News, que monitora a repercussão na imprensa, foram publicadas 11.447 notícias sobre o reality “No Limite”, desde o anúncio da lista de participantes. No dia 11 de maio, publicaram um total de 1.050 matérias. Se comparado à estreia do programa Big Brother Brasil, houve uma queda de 43,85% de matérias.

Modelos BMW ganham conexão com Amazon Alexa

A BMW do Brasil, como parte de sua estratégia para seguir na liderança em inovação e conectividade, disponibiliza gratuitamente em mais 16 de seus veículos produzidos a partir de janeiro de 2019 a atualização remota dos serviços que ativam a Amazon Alexa. Com a nova funcionalidade será possível ter acesso a diversos serviços digitais via comando de voz do aplicativo e ainda controlar dispositivos associados.

A atualização remota de software está disponível para modelos com o sistema operacional 5 e 6. São eles: BMW X2 sDrive20i, BMW X2 sDrive18i, BMW X6 xDrive35i, BMW M140i, BMW 120i, BMW 320i, BMW 430i, BMW M4, BMW X6 M, BMW M2 Competition, BMW M5, BMW X3 M, BMW X4 M, BMW X3 xDrive20i, BMW X4 xDrive30i e BMW 530e. Para ter acesso aos serviços disponíveis na Amazon Alexa, o motorista precisa apenas entrar na área ConnectedDrive, localizada dentro de Menu, pressionar a tecla “Option” do iDrive, e “Atualizar os Serviços”. Depois, é só utilizar o My BMW app para conectar a conta do cliente Amazon com a conta do cliente BMW ConnectedDrive. Para utilizar a Amazon Alexa a partir do veículo é só pressionar o botão de comando de voz no volante e iniciar a requisição com a palavra de ativação Alexa.

A Alexa oferece experiências interativas por comando de voz, incluindo acesso a mais de mil skills, que funcionam como aplicativos, com informações, jogos, podcasts, entre outros. As skills estão à disposição dos usuários na condução em viagens e no dia a dia. Algumas das possibilidades de uso são acesso a notícias, confecção de lista de compras e possibilidade de responder perguntas, agendar compromissos no calendário, acessar listas de reprodução favoritas, pedir a previsão do tempo e interagir com perguntas do tipo: “Alexa, vai chover hoje?”, “Alexa, vamos jogar um jogo?”, ou mesmo “Alexa, me conta uma piada!”. Também é possível acionar dispositivos de casas inteligentes à distância (certas funcionalidades dependem da tecnologia de casa inteligente), como acender luzes, ligar ar-condicionado, entre outras funcionalidades que podem ser conectadas ao dispositivo.

Digital Turbine anuncia conclusão da aquisição do AdColony

 A Digital Turbine Inc. (Nasdaq: APPS) anuncia a aquisição completa da AdColony. A aquisição da AdColony, plataforma líder de publicidade mobile servindo anunciantes e publishers com alcance de mais de 1.5 bilhões mensalmente de usuários globais, é parte integrante da estratégia da Digital Turbine para fornecer uma mídia compreensiva e soluções de propaganda para o operador e também parceiros OEM,  enquanto enriquecem a experiência móvel para os seus usuários finais por entregar um conteúdo de alta relevância. A propriedade de tecnologia dos vídeos da AdColony é rica em formato de mídia e são amplamente vistos como as melhores tecnologias da categoria, fornecendo taxas de visibilidade verificadas por terceiros, líderes do setor, para marcas globais conhecidas, como Coca-Cola, Amazon e BMW.

“Estamos empolgados em fechar a aquisição da AdColony formalmente”, diz Bill Stone, CEO da Digital Turbine. “Acreditamos que esta transação estratégica, juntamente com a aquisição previamente concluída da Appreciate e a conclusão pendente da aquisição da Fyber, irá acelerar sinergicamente nosso crescimento e é um fator realmente positivo para nossos parceiros, anunciantes, funcionários e acionistas. Com a adição da AdColony, expandiremos nossa experiência coletiva, alcance e um conjunto de recursos para beneficiar anunciantes e publishers mobile em todo o mundo. As tendências de gastos com base no desempenho de grandes anunciantes de marcas estabelecidas apresentam oportunidades de material positivo para plataformas com tecnologia única implementável através de acesso exclusivo ao inventário”.

“A Digital Turbine oferece muitas soluções complementares ao desempenho dos negócios da AdColony, enquanto trazemos uma pegada de SDK líder do setor e uma marca e equipe de agências maduras e prósperas para a parceria. Quando você combina o alcance e a capacidade de ambas as empresas, você tem uma plataforma poderosa que impulsionará o crescimento e resultados para qualquer comprador que participa da economia de aplicativo móvel” diz Jude O’Connor Diretor da Receita da  AdColony (Chief Revenue Officer).

A AdColony tem operado com sucesso nos últimos três anos, com 15% de crescimento ano a ano, em 2020, versus 2019, com sólidas margens de EBITDA. Digital Turbine também anunciou os resultados financeiros não auditados do primeiro trimestre da AdColony, terminado em 31 de Março de 2021.  A receita do AdColony para o primeiro trimestre é estimada em aproximadamente $58.3 milhões, representando crescimento de 37% em relação à receita do primeiro trimestre de 2020.

Investimento das marcas no Facebook e no Instagram cresce 60% na comparação anual

A Socialbakers, plataforma líder global em soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, recém comprada pela Astute, acaba de divulgar seu novo relatório sobre mídias sociais e experiência do cliente, oferecendo uma visão aprofundada das tendências que tiveram maior impacto durante o primeiro trimestre de 2021.

Os dados mostram que o investimento em anúncios tanto no Facebook quanto no Instagram cresceram 60% na comparação com 2020, um aumento impressionante após um ano que já havia batido o recorde de investimentos nas redes sociais. O alcance das publicações pagas na primeira rede de Mark Zuckerberg também foi maior no mundo todo, chegando a um crescimento global de 8% e de 23% na América do Norte. À medida que o espaço se tornou mais competitivo, o dinheiro investido em publicidade nas plataformas sociais também registrou um crescimento de mais de 30%.

Para Yuval Ben-Itzhak, CEO da Socialbakers, este ano promete ser importante para os profissionais de marketing que trabalham com redes sociais e experiência do cliente. “Pelo que já vimos somente no começo do ano, prevemos que 2021 será outro grande período para as equipes de marketing de mídia social, com o comércio social e os recursos de compra no aplicativo se tornando ainda mais importantes à medida que as marcas procuram novas maneiras de agilizar a jornada do cliente. Os anunciantes dobraram seus investimentos nas redes sociais durante o primeiro trimestre deste ano, seguindo os mesmos padrões que vimos ao longo do segundo semestre de 2020.”

Em alguns setores específicos, os investimentos nas redes sociais disparam. O ramo automotivo, por exemplo, investiu cerca de 102% mais em publicidade na comparação anual. Já para a indústria de bebidas alcoólicas, o aumento foi de 81% e o comércio eletrônico chegou a investir 66% mais.

Neste trimestre também foi possível identificar uma queda de 15% ano a ano nos patrocínios de influenciadores e também mostra que as questões sociais tiveram prioridade no Facebook durante o período, com um aumento de 141% em páginas do Facebook mencionando pessoas negras.

Metodologia de Relatório
Os Relatórios Trimestrais da Indústria refletem o estado do banco de dados da Socialbakers no início do trimestre após o trimestre dos relatórios. Os dados são extraídos apenas uma vez e não são atualizados entre as versões. O limite mínimo para o relatório a ser gerado é de 50 perfis no Instagram e 50 páginas no Facebook para a combinação de região e categoria fornecida. Quando a combinação de um slide específico não atinge o limite, os dados para uma área mais ampla são fornecidos, se possível.

OLX lança programa de conteúdo e incentivo para profissionais do mercado de publicidade

O mercado publicitário consolidou um espaço inovador nos últimos tempos, e visando a promoção e desenvolvimento de profissionais na mídia, a OLX, uma das maiores plataformas de compra e venda online do país, anuncia o programa de incentivo OLX ADS Challenge, que além de trazer conteúdo específico para o mercado de mídia online, também fortalece a parceria com os times comerciais, com foco nos profissionais de Mídias e Planejamento das empresas e agências de publicidade. O projeto é desenvolvido em parceria com a agência Joy Eventos.

A plataforma do programa OLX ADS Challenge traz conteúdos específicos de estratégias de marketing, como práticas que melhoram as visualizações de anúncios em datas comerciais; mapeamento de tendências, recolhendo e desenvolvendo pesquisas de comportamentos dos consumidores; além de dinâmicas e quizzes com conteúdos exclusivos. Com isso, os participantes realizam desafios e acumulam pontuações em formato de game, podendo até mesmo ganhar prêmios durante as etapas, de acordo com os pontos.

Ao realizar o cadastro, o participante já inicia uma pontuação e os primeiros inscritos recebem um kit de boas-vindas. A cada trimestre, os usuários mais ativos da plataforma serão reconhecidos com prêmios, que vão desde experiências – jantares, aulas -, cursos, crédito na OLX Pay; e na premiação final, quem tiver a maior pontuação no ranking durante o ano, ganhará um iPhone 12 e ainda poderá levar um par de fones de ouvido bluetooth da Bose.

“Além de apoiar nossos parceiros da área de publicidade com informações e conteúdos relevantes para a tomada de decisão de investimentos em mídia, queremos estar ainda mais próximos deste público, adaptando as iniciativas presenciais realizadas antes da pandemia para o ambiente virtual”, comenta Sandra Montes, Vice-Presidente de Marketing da OLX.

As instruções para participar do OLX ADS Challenge podem ser conferidas em http://www.olxadschallenge.com.br .

Juan Carlos Gozzer, novo Diretor de Operações da LLYC para América Latina

A LLYC dá um novo passo em sua reorganização na América Latina. Juan Carlos Gozzer assume a posição de Chief Operating Officer (Diretor de Operações) no território e Mariano Vila é promovido à Direção Geral da Região Sul da empresa. Ambos reportarão a Alejandro Romero, sócio e CEO das Américas, e seguirão operando de São Paulo e Buenos Aires, respectivamente.

Juan Carlos Gozzer assume a posição de COO para América Latina em um momento em que a LLYC está potenciando sua estratégia de crescimento inorgânico via aquisições. Juan Carlos é sócio, tem mais de 13 anos na companhia e até agora estava à frente da Região Sul com Brasil, Argentina e Chile sob sua responsabilidade. Gerenciou com sucesso o crescimento da consultoria no Brasil e Argentina e lançou a operação da LLYC no Chile, liderando a compra da Factor C no mês de novembro passado. A partir de agora trabalhará com as Direções Regionais da consultora em Latam, com responsabilidade direta sobre 9 mercados: México, República Dominicana, Panamá, Peru, Colômbia, Equador, Brasil, Argentina e Chile. Estará à frente dos planos de negócio das regiões, enfocado na criação dos centros de excelência, a incorporação de profissionais sênior, dos processos de novos negócios, do programa Key Clients e do impulso das áreas de tecnologia, marketing e promoção da companhia.

Este movimento Mariano Vila, sócio e Diretor Geral da Argentina, passa a ser o novo Diretor Geral Regional do Sul, tendo sob sua responsabilidade a coordenação das operações do Brasil, Argentina e Chile. Mariano vem liderando o crescimento de nossa companhia a partir de Buenos Aires com porcentagens médias de mais de 45% acumulados nos últimos três anos, e acreditamos que é o momento para que assuma novos desafios à frente de uma Direção Regional. Em cinco anos deixou uma impressão inapagável no gerenciamento de uma das operações mais complexas pela situação
econômica do país.

Juan Carlos Gozzer acredita que “este novo desafio reforça a aposta de crescimento da LLYC na América Latina, onde nossos clientes nos apresentam, cada vez mais, dinâmicas transversais na região com alta proposta de valor”.

“LLYC é una empresa que sempre me deu oportunidades, e ao mesmo tempo enormes desafios para me desenvolver e aprender mais sobre a consultoria em comunicação. Assumo este novo passo com a maior responsabilidade e um enorme entusiasmo, confiando em que juntos a uma grande equipe nas três operações, possamos continuar consolidando nossa marca e serviço a clientes nos próximos anos”, assinala Mariano Vila.

Alejandro Romero afirma que “com estas mudanças, a LLYC avança em seu plano estratégico e reforça sua equipe de direção para enfrentar o desafio de continuar com sua liderança e crescimento global”. “Seguimos acelerando para continuar com o desafio de seguir na vanguarda no mundo da reputação e da comunicação”, acrescenta.

Saiba como se proteger em transações via WhatsApp Pay

Lançado no último dia 4 de maio no Brasil, o WhatsApp Pay permite realizar pagamentos pelo aplicativo de mensagem. A novidade está chamando bastante atenção: não há cobrança de taxas para enviar ou receber dinheiro, e as transações podem ser feitas usando cartão pré-pago, de débito ou múltiplo com a função débito. A Kaspersky analisou a ferramenta e listou as principais características de segurança da aplicação, além de trazer dicas para ampliar a proteção dos usuários.

O primeiro ponto que os especialistas da empresa apontaram é que o app utiliza P2P (conhecido como ponto-a-ponto) como meio de pagamento. Desta forma, a transferência do dinheiro é feita de um usuário ao outro, sem deixar saldos disponíveis em um e-wallet ou em uma conta digital – métodos que poderiam ser alvo dos criminosos.

Outro ponto positivo é a exigência de autenticação da instituição financeira quando o usuário adiciona um cartão de débito como método de pagamento. Feita com um código temporário, conhecido como OTP (one-time-password, em inglês), a autenticação é enviada por e-mail ou SMS e é um passo obrigatório para se completar o processo. Também é possível configurar um PIN numérico ou biométrico, que deve ser informado no ato do pagamento.

Outra medida de segurança adotada pelo novo recurso de pagamento chamou a atenção da Kaspersky no Brasil. Caso a conta WhatsApp seja instalada em um novo dispositivo, a migração da função de pagamento não é automática. Ou seja, ela é desativada da conta e isto exige o recadastramento das informações financeiras.

“Esta medida evita que os criminosos comprometam o cartão de débito da vítima, caso a conta seja roubada. Infelizmente este golpe, tecnicamente chamado de account takeover é o mais comum no Brasil e era a principal preocupação desde que rumores do lançamento do serviço por aqui surgiram”, afirma Fabio Assolini, analista de segurança da Kaspersky no Brasil.

O especialista explica ainda que o golpe que rouba a conta do WhatsApp usa técnicas de engenharia social (lábia) para convencer a vítima a informar o código de instalação temporário (OTP), que é enviado por SMS quando uma instalação é iniciada. “Caso a vítima informe a sequência de seis números, os cibercriminosos conseguem concluir a ativação da conta no novo aparelho e passam a ter acesso às mensagens e contatos da pessoa. Eles se aproveitam disso para entrar em contato com amigos e familiares e pedir dinheiro emprestado. Ter um método de transferência financeira na plataforma poderia potencializar esta prática. Felizmente, não identificamos em nossa análise uma maneira de explorar o WhatsApp Pay neste golpe”explica Assolini.

Mesmo assim, existe um tipo de ataque que não há como se proteger ou mitigar: o SIM swap , na qual é possível roubar uma conta de WhatsApp ao transferir o número do telefone para um novo chip. Outra preocupação de quem decidir instalar o novo recurso de pagamento deve ter é com a proteção do dispositivo. “Existem programas maliciosos financeiros que conseguem realizar transferências bancários acessando remotamente o dispositivo da vítima. Basta uma atualização deste malware para que eles façam uma transação usando o app de mensagem. Mas aqui a maior responsabilidade de segurança está do lado da pessoa “, destaca o analista.

Para que o usuário se proteja de possíveis golpes no WhatsApp e preserve suas informações no WhatsApp Pay, a Kaspersky recomenda:

• Reative sua conta do WhatsApp o mais rápido possível em caso de perda ou roubo do aparelho. Estre processo desativará o WhatsApp Pay no smartphone perdido ou roubado. Caso não faça o procedimento, o golpista terá a chance de cometer fraudes com a conta da vítima.

• Faça uso de um PIN numérico na autenticação dos pagamentos. O processo é feito com o sistema operacional do smartphone e usa a digital já cadastrada. Em caso de roubo do aparelho, especialmente em situações em que a tela não está bloqueada, um golpista pode cadastrar uma nova digital, possibilitando assim o acesso ao WhatsApp Pay e, consequentemente, o envio de dinheiro usando o cartão cadastrado.

• Tenha uma solução de segurança instalada no dispositivo, como o Kaspersky Internet Security para Android, que bloqueia remotamente o smartphone em caso de perda ou roubo, além de proteger o usuário contra golpes que acessam remotamente o aparelho, como os trojans como Ghimob BRata, que podem realizar transações financeiras sem o conhecimento do proprietário.

• Ative os recursos de proteção do WhatsApp, principalmente a autenticação de dois fatores, para diminuir a chance de fraudes. Outros recursos importantes são a adição de um e-mail na conta do WhatsApp para evitar golpes através da central de suporte, bem como ativar o bloqueio do app por meio de um PIN numérico. Essas ações ajudam a diminuir a chance de fraudes e ataques de roubo de contas.

Com impacto da pandemia, 30% dos brasileiros pretendem presentear no Dia das Mães

O bolso mais curto no segundo ano da pandemia de COVID-19 impactou os planos dos brasileiros para o Dia das Mães. Segundo uma pesquisa com 800 brasileiros realizada pelo Google por meio da ferramenta Google Survey em março, 30% dos entrevistados pretendem comprar presentes na data. Outros 29,7% entrevistados estão indecisos sobre presentear ou não neste ano e estão pesquisando mais sobre o tema, o que abre uma oportunidade para empresas apresentarem opções de presente.

Na semana que antecede o Dia das Mães, as buscas pela data no Google estão 220% maiores que em 2020, considerando o volume registrado na semana entre 24 e 30 de abril. O primeiro pico de interesse por presentes para a data foi em 8 de março deste ano, dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher.

Ao contrário de anos anteriores, em que o brasileiro deixava o presente para a última hora, neste ano mais da metade (62%) afirmou que iniciaria as buscas antes da semana do Dia das Mães. Em 2020, esse número foi de apenas 38%. Além disso, 19% afirmam que vão pesquisar mais porque querem comprar um item mais barato.

Onde e o que comprar

Quanto ao canal, apenas 30% das pessoas que pretendem comprar um presente dizem que o farão em lojas físicas, enquanto 25% planejam comprar pelo site da loja, 20% por aplicativos, 11% por redes sociais e 9% por meio de serviços de entrega. Além disso, o preço do produto é o critério mais importante para a decisão de compra este ano, seguido pela qualidade do atendimento e variedade. O preço e prazo do frete, que em geral são fatores importantes, foram mencionados por menos de 20% dos entrevistados neste ano.

Com relação às categorias de produtos mais buscados dos que pretendem presentear, destacam-se moda (40%), beleza e perfumaria (34%), cestas de flores e experiências (17%) e eletrônicos (14%). Em sua maioria (28%), os entrevistados pretendem gastar até R﹩ 100 no presente do Dia das Mães deste ano.