Author admin

Inclusão digital: como conectar os avós às novas tecnologias

Em tempos de pandemia, dominar os recursos tecnológicos representa enorme vantagem para garantir mais saúde física e mental. No entanto, nem sempre os adultos, especialmente os idosos, dispõem da mesma facilidade que os mais jovens frente à tecnologia.

A inclusão digital nunca foi tão importante e significativa para a sociedade quanto agora. Afinal, é por meio de dispositivos e apps que as pessoas estão conseguindo manter a comunicação e a “convivência” online.

Nem todo mundo, porém, teve a oportunidade de se adaptar às tecnologias antes da pandemia – sobretudo entre o público idoso. Para tanto, os netos são fundamentais nesse momento para dedicar um pouquinho de tempo, paciência e amor, mesmo à distância.

A App Store reúne inúmeros aplicativos capazes de enriquecer as vivências e favorecer a interação entre avós e netos. Mas, antes disso, muitas vezes é preciso partir bem lá do princípio, dando um passo de cada vez. Afinal, você já imaginou seus avós usando o FaceTime para fazer videochamadas em grupo, por exemplo? Certamente a experiência será fonte de orgulho e felicidade. Ainda mais para famílias grandes e avós que contabilizam muitos netos e bisnetos. Além disso, é possível empoderar e garantir mais autonomia aos idosos.

Veja algumas dicas da iPlace de como aproximar os avós do mundo digital.

1. Seja o “puxador de conversa” sobre a inclusão digital

Antes de tudo, invista num bate-papo descomplicado para sentir o clima e avaliar o que seus avós pensam sobre tecnologia. Assim, é possível ter uma ideia do quão familiarizados eles estão com o mundo digital. Afinal, nem todos sabem do que dispositivos como iPhone e iPad são capazes de fazer no dia a dia. Então aproveite para resumir algumas facilidades e destacar os principais recursos que podem simplificar suas rotinas. Dessa forma, será mais fácil identificar os principais interesses e prioridades dos seus avós. Ao mesmo tempo, será possível estimar o que eles terão condições de fazer sozinhos no início.

2. Escolha o dispositivo ideal

Especialmente para pessoas com problemas de visão, o iPad pode ser a melhor escolha para um primeiro contato com a tecnologia. Afinal, o dispositivo possui tela bem maior. Também é possível ativar o recurso de Fonte Dinâmica Maior – tanto no iPad quanto no iPhone ou Apple Watch. Além disso, todos os dispositivos Apple priorizam a inclusão digital e oferecem uso fácil e intuitivo. Aliás, é possível até fazer com que o iPhone e o iPad leiam textos para seus usuários.

3. Faça as configurações necessárias

De qualquer maneira, um neto dedicado sempre pode preparar tudo antes de presentear os avós. Ou seja: em vez de entregar o dispositivo fechado na embalagem, realize antecipadamente as principais configurações para facilitar o uso. Por exemplo: coloque o chip da operadora, insira os principais contatos na agenda e crie um ID Apple. Assim será possível facilitar o acesso e já instalar os principais aplicativos que serão utilizados. Bons exemplos são redes sociais, serviços de streaming e jogos – como um divertido bingo!

4. Ajuste a visualização e carregue o aparelho

Ainda nas configurações, ajuste o tamanho das fontes e estilo de tela que melhor se apliquem ao novo usuário. Outro ajuste importante é o brilho, que pode garantir mais conforto aos olhos. Ainda nas configurações de Tela e Brilho, determine um período maior de Auto-Lock do iOS. Afinal, pessoas em processo de inclusão digital podem necessitar de mais tempo para suas interações com o dispositivo. Lembre-se ainda de deixar a bateria 100% carregada para que seus avós possam mexer bastante no aparelho ao primeiro contato.

5. Realizando chamadas em grupo no Facetime

• O primeiro passo é conferir se o FaceTime está ativado no iPhone. Para isso, basta acessar Ajustes < FaceTime.

• Em seguida, no aplicativo FaceTime, toque no botão Adicionar, representado pelo sinal de “+” no canto superior direito. Então insira nome, telefone ou e-mail de seus contatos, lembrando que é possível adicionar até 32 pessoas a uma chamada.

• Para iniciar a chamada, toque em Áudio ou Vídeo. Dessa forma, sempre que fizer uma chamada de vídeo, cada participante aparecerá em um quadrado na sua tela. Além disso, quando um participante estiver falando ou quando você tocar na imagem dele, ela irá se sobressair às outras. Aliás, dependendo do número de contatos na videochamada, nem todos ficarão visíveis na tela ao mesmo tempo. Nesse caso, uma fileira na parte inferior permitirá que você navegue pelas imagens dos outros contatos.

• Também é possível iniciar uma chamada em grupo a partir do app Mensagens. Para isso, na conversa, toque nas fotos de perfil ou no botão Minha Conta na parte superior da conversa e toque em FaceTime.

• Mesmo com a videochamada já em andamento, é possível adicionar outras pessoas ao bate-papo. Tanto que qualquer participante pode fazer isso a qualquer momento. Então, durante a ligação, toque na tela para abrir os controles. Em seguida, passe o dedo para cima a partir da parte superior dos controles e toque em Adicionar Pessoa. Depois, digite o nome, ID Apple ou número de telefone da pessoa que desejar incluir e toque em Adicionar.

• Além disso, você também pode ser adicionado a uma videochamada em andamento, desde que seja convidado. Quando isso acontecer, você verá o convite como uma ligação recebida.

Cresce o número de sites fraudulentos relacionados com as vacinas contra a COVID-19

A Check Point Research (CPR), braço de Inteligência em Ameaças da Check Point® Software Technologies Ltd . (NASDAQ: CHKP), uma fornecedora líder de soluções de cibersegurança global, alerta para o aumento do número de sites fraudulentos relacionados com as vacinas contra a COVID-19. Nos últimos oito meses, a quantidade de domínios registrados referentes a esta temática cresceu 300%, com o aumento de 29% do número de sites considerados perigosos pelos pesquisadores da CPR. A Check Point comenta sobre um caso recente no qual um ciberatacante falsificou o site do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos para obter credenciais Microsoft.

A distribuição de vacinas contra a COVID-19 avança aceleradamente no mundo. Estima-se que já tenham sido administradas cerca de 250 milhões de doses a nível global e o número cresce diariamente. É importante relembrar, contudo, que a porcentagem da população que se encontra totalmente imunizada contra a doença é ainda inferior a 1%. Bilhões de pessoas continuam aguardando pela sua vez e, enquanto isso, os cibercriminosos se aproveitam das buscas por informações que essas pessoas fazem na Internet para explorá-las por meio de golpes e ciberataques.

Os pesquisadores da Check Point confirmam o aumento significativo do número de domínios registrados incluindo a palavra “vacinas”. Do início de novembro de 2020 até agora, a equipe da Check Point documentou 7.056 novos domínios relacionados com o tema da vacinação, dos quais 294 foram considerados potencialmente perigosos e de alto risco. Ao comparar com o período de julho a outubro do ano passado, os pesquisadores concluíram que, entre os dois intervalos de tempo, o número de domínios relacionados com a vacina cresceu 300%, com um aumento de 29% dos domínios considerados perigosos.

Fig. 1 Número semanal de novos domínios relacionados com as vacinas contra a COVID-19

Caso real: Falsificação do site do CDC dos Estados Unidos

A Check Point Research divulgou recentemente um caso real de um site malicioso que falsificava o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos. Embora o domínio principal (infection-alerts.com) tenha sido criado em abril de 2020, os pesquisadores acreditam que os seus subdomínios são recentes. A navegação neste site falso foi detectada pela primeira vez no final de janeiro de 2021 e, algumas semanas antes, havia outro subdomínio semelhante, agora inativo, usado por hackers: covid19 \.vaccine\.infection-alerts\.com.

Fig. 2 Falsificação do site do CDC

Dicas e recomendações de proteção

Atenção quanto à ortografia, ao tom e à linguagem nos e-mails. Deve-se verificar o endereço de e-mail completo em qualquer mensagem e ficar alerta para os sites e os hiperlinks que possam conter erros ortográficos do nome de domínio legítimo, bem como aos remetentes desconhecidos. Verificar se a URL corresponde a um site autêntico sem clicar em links de e-mails e pesquisar e clicar no link da página de resultados do Google (ou do buscador de sua preferência). É preciso observar sempre o tom e a linguagem no texto do e-mail: as técnicas de engenharia social são projetadas para tirar proveito da natureza humana e fazer com que os usuários cometam erros ou ações por impulsividade.

Suspeitar sempre de e-mails que solicitam a redefinição da senha. Se o usuário receber, sem ter sido solicitado por ele, um e-mail deste gênero, deve-se visitar o site da organização em questão diretamente, evitando clicar no link anexado ao e-mail.

Verifique a ortografia do domínio. Ciberatacantes alteram frequentemente a ortografia dos domínios para palavras similares que sejam facilmente confundidas com o nome real do site. Por exemplo, escrever “.co” em vez de “.com”.

Não confiar em ofertas de “compra” de vacinas. Por mais tentador que possa ser – visto que a maior parte das pessoas aguarda ser vacinada -, estes anúncios são falsos e é quase garantido que seja um golpe.

Não compartilhar as credenciais. O roubo de credenciais é um objetivo comum de ataques cibernéticos. Muitas pessoas reutilizam os mesmos nomes de usuário e senhas em muitas contas diferentes, portanto, roubar as credenciais de uma única conta provavelmente dará a um atacante o acesso a várias contas online do usuário. Assim, a recomendação é nunca compartilhar as credenciais da conta e ainda não reutilizar as mesmas senhas.

Pesquisa traz previsões e tendências de investimento em publicidade para 2021

O IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), associação que tem o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da publicidade digital no Brasil e a Nielsen, empresa global de mensuração e análise de dados, realizaram a segunda edição da pesquisa sobre o impacto da Covid-19 no mercado publicitário brasileiro. O objetivo foi traçar um retrato do cenário atual de investimentos em mídia em meio à pandemia e das perspectivas para o futuro.      

Para o levantamento, foram entrevistados, nos meses de novembro e dezembro de 2020, cerca de 167 profissionais entre anunciantes, agências, Ad Techs, veículos e outros, sendo que 52% destes em cargos de gestão, de gerentes à C-level.

A visão de agências e anunciantes (buy side)

63% dos respondentes de buy side declararam investir mais da metade de suas verbas totais de mídia em meios digitais. Destes, 20% declararam direcionar até 80% de seus investimentos para o digital.

Quando questionados sobre as expectativas de investimento para 2021, 45% aumentarão a verba gasta com anúncios digitais, e 14% em estratégias com influenciadores, motivados pela busca por performance, ROI, posicionamento de marca e alcance de novas audiências.

Quanto aos formatos, 27% dos entrevistados de buy side esperam aumentar este ano os investimentos destinados para search, 23% para áudio digital e podcasts e 18% para Native Advertising.

“A atenção à performance e busca por ROI reportada pelos respondentes de buy side, somada à expectativa de crescimento em anúncios digitais e em formatos como search, reforçam a importância do meio para impulsionar os negócios frente às restrições por conta da pandemia. Ao mesmo tempo, além da preocupação com a conversão, a expectativa de aumento em estratégias com influenciadores, e formatos como áudio e podcasts, mostram que os anunciantes vêm a importância do digital para a construção de marca, geração de conversas e uma conexão mais profunda com seu consumidor”, avalia Cris Camargo, CEO do IAB Brasil.

“Os objetivos de brand equity e performance foram os que mais receberam atenção ao longo do ano de 2020 no mercado de publicidade, se analisadas as respostas da primeira e segunda onda da pesquisa. Houve aumento nos esforços de início, e uma intenção em manter estes esforços para o ciclo seguinte”, pontuou a líder de Media Measurement da Nielsen Media no Brasil, Sabrina Balhes. “Além do aumento de investimentos, espera-se também um maior acompanhamento dos resultados desses esforços no sentido de verificar se as campanhas estão atingindo os objetivos propostos”, complementa Balhes.

O estudo na íntegra pode ser conferido por meio deste link.

Sobre a pesquisa

Pesquisa realizada entre os meses de novembro e dezembro de 2020, com 167 respondentes, sendo anunciantes, agências, veículos e empresas de tecnologia aplicada à publicidade.

Comunidade Clube da Influência permite a colaboração entre influenciadores

Squid, empresa líder em marketing de influência e comunidades do Brasil, anuncia uma novidade na comunidade colaborativa Clube Da Influência. O espaço permite que influenciadores e entusiastas troquem experiências, publiquem artigos e participem de cursos sobre a área e o mercado de creators. A produção de conteúdo acontece de maneira colaborativa e conta com dicas sobre métricas, engajamento e novos formatos de publicação.

A comunidade pode ser acessada gratuitamente e utilizada por qualquer pessoa que tem interesse em consumir artigos e conteúdos para fortalecer os conhecimentos sobre marketing digital. “O Clube da Influência nasce com uma proposta incrível que é conectar criadores por meio de conteúdos aprofundados a respeito de suas vivências e relação com marcas. Fazer parte desse meio é importante para mostrar ao mercado o potencial do segmento de marketing de influência e, principalmente, educá-lo por meio de cursos, artigos e outros conteúdos abordando o universo em torno desse mercado”, analisa o influenciador e colunista Gleidstone Silva.

Para Felipe Oliva, cofundador e CEO da Squid, o Clube da Influência traz uma oportunidade muito importante não apenas para quem quer se especializar no mercado, mas para quem já tem conhecimento sobre o que outros creators estão fazendo. “A grande proposta de uma comunidade é, através da colaboração, compartilhar conhecimento e educar todo o nicho de influência digital. Essa iniciativa reforça o poder desses espaços: revolucionar a forma como nos especializamos e buscamos aprender”, finaliza o executivo.

Mais informações, acesse www.clubedainfluencia.com.br.

Paramount+, novo serviço de streaming da ViacomCBS, chega ao Brasil nesta quinta-feira

Estamos vivendo um momento muito importante para a ViacomCBS. O lançamento do novo Paramount+ é um passo enorme no posicionamento da companhia no mercado. Com isso, o público vai sentir o impacto da chegada de um player de streaming extremamente poderoso”, afirma Mauricio Kotait, SVP e gerente geral da ViacomCBS no Brasil. “Muito mais moderno e robusto, o serviço reúne uma montanha de entretenimento que entrega uma experiência incrível, além de um vasto conteúdo em gênero, para todos os públicos”, completa.

Paramount+ (lê-se Paramount Plus) será a “casa” das estreias do SHOWTIME, incluindo o lançamento da série Your Honor, estrelada por Bryan Cranston e produzida por Edward Berger. Além dessa, as estreias originais do SHOWTIME disponíveis no serviço incluem TheGood Lord Bird, estrelada por Ethan Hawke e Joshua Caleb JhonsonThe Comey Rule, estrelada por Jeff Daniels e Brendan Gleeson; e Escape at Dannemora, estrelada por Benicio del Toro, Patricia Arquette e Paul Dano, dirigida por Ben Stiller .

O novo serviço de streaming oferecerá outras séries originais, incluindo No Activity, estrelada por Patrick Brammall e J.K. Simmons; Strange Angel estrelada por Jack Reynor; além do inédito spin-off do Bob Esponja, Kamp Koral. O conteúdo original disponível não para por aí: Two Weeks to Live, minissérie em seis episódios dirigida por Al Campbell e estrelada por Maisie Williams; a quarta temporada de The Handmaid’s Tale, estrelada por Elisabeth Moss; e a terceira temporada de Yellowstone, estrelada Kevin Costner, Luke Grimes e Kelly Reily .

A montanha de entretenimento inclui filmes de sucesso como The Outpost, estrelado por Orlando Bloom, Scott Eastwood e Caleb Landry Jones; The Fanatic, estrelado por John Travolta, Devon Sawa e Ana Golja; além de contar com os blockbusters Missão: Impossível (1 ao 5), a trilogia de O Poderoso Chefão, Forrest Gump, Vanilla Sky e muitos outros.

Com mais de cinco mil horas de conteúdo desde o lançamento, o Paramount+ contará com um extenso acervo de conteúdos clássicos que inclui séries como NCIS, Twin Peaks, The Good Wife, Todo Mundo Odeia o Chris, Dexter, Ray Donovan e The Affair .

O serviço também terá produções originais e brasileiras da MTV e do Comedy Central, incluindo De Férias Com o Ex Brasil, o spin-off De Férias Com o Ex Brasil: A Treta Não Tira Férias e a nona temporada de A Culpa é do Cabral. O reality Geordie Shore, também produzido pela MTV, já estará disponível na estreia.

Crianças e famílias poderão aproveitar seus programas favoritos da Nickelodeon, como Top Wing, Tyler Perry’s Young Dylan, segunda temporada de Os Casagrandes, Patrulha Canina, As Tartarugas Ninja, Blaze & The Monster Machines e Bob Esponja.

ONDE ASSISTIR

O novo Paramount+ estará disponível no site ParamountPlus.com e em smartphones e smart TVs, através do aplicativo Paramount+ para iOS e Android. O serviço também terá ampla distribuição nos principais parceiros latino-americanos, incluindo Apple, canais do Amazon Prime Video, Claro Brasil, Mercado Livre, Oi e Vivo. O valor da assinatura mensal do serviço é R﹩19,90 .

PARAMOUNT+ APRESENTA – CANAL POP-UP NA PLUTO TV

A América Latina é um dos mercados de consumo de video via celular com crescimento mais rápido do mundo, com mais de 250 milhões de visualizações. Por sua vez, a Pluto TV, que possui mais de 80 canais e 20 mil horas de conteúdo de mais de 150 parceiros, foi o 4º aplicativo mais baixado da América Latina em 2020, somando 21 milhões de downloads. No Brasil, a Pluto TV possui mais de 33 canais e está crescendo a cada mês desde o lançamento em dezembro de 2020.

Em virtude disso, de 4 a 31 de março, a ViacomCBS lançará o canal pop-up Paramount+ Apresenta com exclusividade na Pluto TV, disponível na América Latina, incluindo Brasil, apresentando uma prévia do que está disponível no serviço premium. Focado na variedade do Paramount+, o canal pop-up apresentará alguns episódios dos principais títulos, além de teasers do que mais estará disponível no novo serviço de streaming .

PROJEÇÃO DE VÍDEO PARAMOUNT+ INÉDITA EM SÃO PAULO

A parede lateral do auditório do Ibirapuera, um dos cartões postais da cidade de São Paulo, servirá de tela para exibição de um trailer de 3 minutos com trechos de destaque dos principais conteúdos do Paramount+. Das 20h às 24h, quem passar por lá será impactado por este vídeo mapping exclusivo da campanha de lançamento. Para quem estiver em casa, as redes sociais do Paramount+ (@ParamountPlusBr) transmitirão a ação. Intervenções urbanas similares acontecerão na Argentina e no México, no mesmo horário, para marcar a chegada do Paramount+ também nesses países.

ESPECIAL INVASÃO P+ NOS CANAIS COMEDY CENTRAL, MTV E PARAMOUNT NETWORK

Ainda durante o dia 4 de março, os canais Comedy Central, MTV e Paramount Network irão promover o Especial Invasão P+: das 19h à 0h35, a audiência dos três canais poderá degustar dos primeiros episódios das séries de sucesso Black Monday, The Comey Rule, Two Weeks to Live e Escape at Dannemora, todas já disponíveis no lançamento do Paramount+.

Além desse especial que celebra a chegada do novo streaming ao Brasil, Comedy Central, MTV e Paramount Network prepararam maratonas que antecedem a exibição das séries listadas acima. O Comedy Central exibe, das 10h às 19h, maratona com episódios de A Culpa é do Cabral e A Culpa é da Carlota. Na MTV, das 8h50 às 19h, serão exibidos conteúdos do canal disponibilizados no Paramount+: a série Faking It e os realities de sucesso Adotada, Are You the One? Brasil, Catfish Brasil, Acapulco Shore, Geordie Shore e Super Shore. E no Paramount Network, das 10h15 às 19h, irão ao ar maratonas das consagradas séries The Handmaid’s Tale e Yellowstone.

Confira a programação completa no Comedy Central

A partir das 10h – Maratona A Culpa é da Carlota – 1ª temporada

A partir das 13h45 – Maratona A Culpa é do Cabral – 9ª temporada

A partir das 16h45 – Confira os dois primeiros episódios de Black Monday

A partir das 20h15 – Confira os dois primeiros episódios de The Comey Rule

A partir das 21h45 – Confirma o primeiro episódio de Two Weeks To Live

A partir das 22h15 – Confira dos dois primeiros episódios de Escape at Dannemora

Confira a programação completa na MTV

A partir das 8h50 – Confira os dois primeiros episódios de Faking It

A partir das 9h40 – Confira o primeiro episódio da 4ª temporada de Adotada

A partir das 10h40 – Confira o primeiro episódio da 3ª temporada de Catfish Brasil

A partir das 11h40 – Confira o primeiro episódio da 4ª temporada de Geordie Shore

A partir das 12h30 – Confira o primeiro episódio da 4ª temporada de Are You the One? Brasil

A partir das 13h25 – Confira o primeiro episódio da 1ª temporada de Acapulco Shore

A partir das 14h20 – Confira o primeiro episódio da 1ª temporada de Super Shore

A partir das 15h20 – Confira o primeiro episódio da 1ª temporada de De Férias Com o Ex

A partir das 16h10 – Confira o primeiro episódio da 1ª temporada de De Férias Com o Ex Brasil

A partir das 17h05 – Confira o primeiro episódio da 1ª temporada de De Férias Com o Ex Brasil: A Treta Não Tira Férias

A partir das 18h – Confira o primeiro episódio da 4ª temporada de De Férias Com o Ex Brasil

A partir das 19h – Confira o primeiro episódio de Two Weeks to Live

A partir das 19h30 – Confira os dois primeiros episódios de Black Monday

A partir das 20h40 – Confira os dois primeiros episódios de The Comey Rule

A partir das 22h25 – Confira os dois primeiros episódios de Escape at Dannemora

Confira a programação completa no Paramount Network

A partir das 10h – Maratona The Handmaid’s Tale – 3ª temporada

A partir das 14h45 – Maratona Yellowstone – 2ª temporada

A partir das 17h – Confira os dois primeiros episódios de Black Monday

A partir das 20h – Confira os dois primeiros episódios de The Comey Rule

A partir das 21h45 – Confira o primeiro episódio de Two Weeks To Live

A partir das 22h15 – Confira os dois primeiros episódios de Escape at Dannemora

Após entrada em novos negócios, Sympla anuncia chegada de executivos para posições de liderança

O ano de 2020 marcou a entrada da Sympla em novos segmentos de negócio. A empresa, que é a maior plataforma de eventos do país, passou a atuar também no mercado de streaming e de cursos online com a criação de dois novos produtos: o Sympla Streaming e o Sympla Play.

Com o objetivo de continuar a expansão e solidificar a presença da marca nestes dois novos segmentos, a empresa anunciou a contratação de dois novos executivos: Valeria Molina e Marcus Cardoso. Eles passam a ocupar, respectivamente, os cargos de Head de Marketing e CFO na empresa.

Valeria Molina – Head de Marketing

Valéria Molina, entra para a equipe da Sympla como Head de Marketing. Com MBA em Marketing e graduação em Administração de Empresas e Ciência da Computação, possui mais de 15 anos de experiência em Marketing, Vendas, E-commerce e Produtos, tendo atuado em empresas como Microsoft, Dell Computers, Hewlett Packard e GoDaddy.Valéria traz um olhar voltado às startups e gestão de unidades de negócios, com experiência nas indústrias de Tecnologia da Informação e Internet tanto no Brasil quanto em outros países da América Latina.

Marcus Cardoso – Chief Financial Officer (CFO)

Marcus Cardoso assume o cargo de Chief Financial Officer na Sympla. Com mais de 16 anos de experiência na área financeira com foco em mercado de capitais, due-diligence, auditoria, SoX, Controles Internos e Avaliação Antifraude, Marcus possui MBA em Serviços de Gestão Financeira e Estratégia e Liderança, e sua trajetória profissional conta com a expertise adquirida em sua passagem por grandes empresas como Nike e iFood, e trabalhando em mais de 20 negócios, dentre eles BR Malls, Technos, Vale, Grupo Ultra, Droga Raia e Petrobras.

Como a LGPD se enquadra às campanhas de marketing

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entrou em vigor em setembro de 2020 e estabelece diretrizes fundamentais e obrigatórias durante a coleta, armazenamento e uso de dados pessoais. Ela é extremamente necessária por conta dos diversos casos de uso indevido, vazamento e até comercialização de dados, as novas regras asseguram a privacidade dos brasileiros e evitam entraves comerciais com outros países.

Diante desse cenário, diversos profissionais tiveram que se adequar a essa nova lei, e não foi diferente no universo do marketing. Segundo, Rafael Wisch, CEO da GDigital, startup de desenvolvimento de softwares voltados para marketing e vendas, esta é uma mudança brusca, visto que deste momento em diante, o usuário precisa saber o que será feito com os dados dele e consentir antes de prosseguir.

“O principal intuito da LGPD não é prejudicar as empresas, mas proteger os dados do usuário e dar clareza a ele sobre o que a empresa está manuseando. Uma das maiores mudanças para o marketing é no processo de trackeamento de dados, que é a principal estratégia para construção de remarketing – quando você busca um produto e após isso só aparece ele por um tempo. Essa é uma das atividades que está ameaçada, já que se o usuário não consentir e a empresa estiver dentro da LGPD, a campanha não irá ocorrer.”, explica Wisch.

Antes da LGPD, as empresas poderiam coletar os dados que elas quisessem do usuário, como, informações de localização e sistema operacional, além da inserção de cookies na máquina do usuário, com o intuito de personalizar a navegação e a instalação de scripts externos do Facebook e Google, para realizar mais derivações de marketing e partilhar as informações com essas empresas.

“Se o usuário concordar, tudo permanece igual, mas se não, nada pode ser feito com relação ao armazenamento de dados. Além disso, a qualquer momento o usuário pode falar que não quer mais e solicitar, de forma simples, que os dados que a empresa têm dele sejam excluídos”, comenta Wisch.

Pensando nas ações de marketing, duas delas foram mais impactadas, a captura de leads e a inserção de cookies, como explica o CEO da G Digital. “As estratégias podem continuar sendo utilizadas da mesma maneira, entretanto, o usuário precisa consentir de maneira clara. Além disso, ele também precisa ter uma opção fácil para acessar ou até mesmo excluir as suas informações, quando desejar”, esclarece.

Adequação à LGPD

Houve muitas críticas à Lei Geral de Proteção de Dados vindas do mercado, por conta das preocupações e certas burocracias que elas traz, comenta o CEO da GDigital, “Para nós ela é necessária, tanto para fortalecer as empresas que fazem um trabalho profissional quanto para dificultar quem age de má fé.”, explica.

Para adequar à nova lei é necessário fazer um trabalho em conjunto entre os setores jurídico e de tecnologia. “Entender quais informações podem ser armazenadas e como fazer quando o usuário solicita a remoção é essencial. Na nossa estrutura, por exemplo, o projeto levou quatro meses para sua execução, esse tempo foi necessário pois é preciso fazê-lo de forma responsável e segura.”, relata Rafael Wisch.

Com mais de 10 mil usuários no Brasil, Wisch conta que, além das adequações, é preciso educar os consumidores que já estão ativos e, também, aqueles que estão entrando para o universo do marketing digital. “É preciso conscientizar clientes e encontramos em eventos online, materiais de blog e treinamos uma maneira de educá-los, mas muitos ainda estão implantando as adequações. Nós não os obrigamos, conscientizamos e disponibilizamos as ferramentas para que cada um faça dentro das suas prioridades e tempo, já que essa não é uma tarefa simples para algumas empresas”, conta.

A adequação à lei garante mais segurança tanto às empresas quanto aos clientes, como comenta Rafael Wisch, “Se adequar é continuar desenvolvendo um trabalho profissional e dando a devida segurança aos usuários”. Os usuários vão ficar mais satisfeitos com a transparência do negócio, além de eliminar o risco de problemas, seja jurídico ou de cancelamento.”, comenta Wisch, que ainda afirma que o impacto nas conversões não é alto.

Para as marcas que desejam continuar realizando campanhas de marketing digital ou iniciar neste mercado, é imprescindível que busquem por ferramentas que cumpram as exigências da legislação. “Para quem está começando agora, há ferramentas que fazem todo o trabalho, mas o cliente precisará fazer o seu termo de uso para já começar de maneira correta”, afirma.

Penalidades

Existem dois tipos de penalidades para as empresas que não se adaptarem a LGPD: as jurídicas e as administrativas. Uma empresa que não estiver adaptada à legislação pode ser processada e esse processo também incorre ao prestador de serviço, que não deu condições dela se adaptar.

Militância e cancelamento: estudo mostra movimento de empatia e diálogo nas redes sociais após tensões nas primeiras semanas do BBB21

Mesmo quem não acompanha de perto as intrigas, disputas e confrontos que marcam a atual edição do Big Brother Brasil tem sido impactado pelo que acontece dentro da casa. Os temas em discussão têm tomado cada vez mais as redes sociais e as rodas de conversa virtuais. De olho nesse movimento, a Orbit Data Science – startup paulistana que analisa qualitativamente debates e tendências nas redes sociais – se debruçou para entender o fenômeno.

O que tem embasado as conversas sobre militância e cancelamento, a partir do fenômeno BBB21 nas redes? Para responder a esta pergunta a Orbit analisou a fundo 4.996 tweets com a hashtag #bbb21, e que mencionaram as palavras “cancelamento”, “militância” ou suas derivadas, entre 20 de Janeiro e 10 de Fevereiro de 2021.

A análise destes comentários levou à descoberta de 78 opiniões diferentes sobre o tema. O estudo completo está disponível gratuitamente no site da Orbit Data Science. Mais de 72% das opiniões foram críticas às formas com que a “militância” e “cancelamento” ocorreram no BBB21, com apenas 7,4% defendendo-as sob determinadas condições. As opiniões neutras somaram pouco mais de 20% da amostragem.

“Os dados sugerem que o BBB21 vem evidenciando um novo ‘espírito do tempo’, com um olhar mais crítico aos temas ‘militância’ e ‘cancelamento’. O lado positivo do debate é que emerge um movimento crescente pela empatia e diálogo contra a intolerância, inclusive dos canceladores. Fica claro que, para o público, cancelar não é o melhor remédio contra o cancelamento”, explica Caio Simi, CEO da Orbit.

O estudo aponta que, mesmo antes do início do programa, já havia a expectativa de discussão de bandeiras da militância, como ocorreu com o machismo na edição passada. Era grande o volume de comentários que já citavam o assunto com a #bbb21 nos primeiros dias do ano. No entanto, o que se viu foi uma grande conversa sobre os métodos, na qual não se discutiu tanto os fins, mas sim os meios.

Segundo Fernando Hargreaves, sócio e diretor de operações da Orbit, o objetivo foi compreender a evolução das conversas na sociedade desde a divulgação dos participantes do BBB21 até a saída do participante Lucas Penteado, que abandonou o programa em meio a uma série de polêmicas e atritos dentro da casa.

“A análise das variações das opiniões no período mostra que o principal fator das críticas sobre militância e cancelamento não é seu conteúdo, mas a sua forma. Mesmo as principais menções a conteúdo levam em conta os prejuízos trazidos pela maneira como abordagens acontecem”, sintetiza Hargreaves.

Logo após a festa em que Lucas se indispôs com outros participantes, no dia 29 de janeiro, foram registrados picos de opiniões sobre a militância errada acabar por prejudicar a própria causa e sobre nem tudo ser motivo para se militar. Uma vez que Lucas é cancelado dentro da casa, o público passou a reconhecer as redes sociais como estimuladoras do cancelamento e a discussão começa a focar nos temas de militância e a cultura do cancelamento. A conversa voltou-se para os prejuízos trazidos pela militância às próprias causas, e o reconhecimento de que as redes sociais “não deveriam cancelar os canceladores da casa”.

Diante da polêmica que marcou os primeiros dias do programa, o desfile de maquiagem dos homens da casa, a opinião “medo do cancelamento faz com que as pessoas deixem de ser elas mesmas” disparou, tendo mais de 50% da sua incidência de todo o período nos primeiros quatro dias de programa. Vale registrar que a saída de Karol Conká ocorreu após o fim do estudo.

Na prática, “não cancelar os canceladores” significa posicionar-se de forma empática com todos os grupos, inclusive com quem cancela. Para as marcas que vêm acompanhando a discussão, a Orbit defende que isso não implica em adotar uma posição de neutralidade em temas sensíveis, mas sim em afirmar seus valores – inclusive militando por eles quando necessário – de uma forma propositiva, que agregue ao diálogo, e que contribua positivamente para a construção de uma realidade inclusiva.

Detalhamentos do estudo. A escolha do Twitter como base de trabalho para este estudo da Orbit Data Science deu-se por se tratar da rede social que apresenta os comentários mais espontâneos. Isso porque não precisam estar necessariamente vinculados a posts, notícias, ou imagens, que naturalmente influenciam os comentários de redes como Facebook,Instagram e Youtube.

O período analisado vai de 20 de Janeiro a 10 de Fevereiro de 2021, o processo de separação das postagens é minucioso e pode levar até uma semana. A observação destes comentários levou à descoberta de 78 opiniões diferentes sobre o tema. Para categorizar estas opiniões, foram utilizados elementos da teoria da comunicação, de modo a tornar mais claro ao que se referem os sentimentos expressados.

Assim, as opiniões identificadas na rede foram divididas nas 6 seguintes categorias: Emissor, Receptor, Mensagem, Contexto, Impactos e Geral .

Os gráficos interativos do estudo revelam como estas opiniões se relacionam e como evoluíram a partir dos acontecimentos de dentro da casa do BBB.

​O primeiro gráfico interativo apresenta todas as opiniões relacionadas ao objeto de estudo, consolidadas primeiramente por categoria e posteriormente por sentimento. Os dados revelam que, entre todas as opiniões emitidas, 72,1% são críticos aos temas cancelamento e/ou militância, contra somente 7,4% de opiniões em defesa dos mesmos. As opiniões neutras representaram pouco mais de 20% da amostra.

As principais críticas são sobre a perda de espontaneidade provocada pelo medo do cancelamento, o prejuízo que a militância traz para as próprias causas que visa defender e o cancelamento promovido por pessoas que se dizem contra o mesmo. ​Já entre os comentários positivos, opiniões gerais como a de que não se pode banalizar a militância e sobre como a militância é necessária.

Entre os comentários neutros falou-se mais sobre o contexto, principalmente sobre como a militância não pode ser seletiva. Também foram destaques opiniões sobre os emissores, principalmente sobre como os militantes devem agir de acordo com o que pregam, e de que devem ter respeito e educação.

O segundo gráfico apresenta a evolução das opiniões durante o período estudado.​ E revela que a conversa sobre militância e cancelamento com a hashtag #bbb21 já existia mesmo antes do início do programa. Desde que foram anunciados os participantes o tema já foi ventilado nas redes sociais.

Uma vez iniciado o programa, a discussão torna-se mais frequente, porém é somente após o dia 27/01, com o desfile dos homens de maquiagem e subsequente conversa entre Caio e Lumena sobre o assunto que o tema explode no Twitter.

Após o pico de comentários sobre o desfile, o estudo acompanha a jornada de Lucas Penteado na casa, da festa na qual se indispôs com vários participantes até o beijo em Gilberto, que culminou com sua saída voluntária do programa. Após a festa registra-se picos de opiniões sobre como a militância errada acabar por prejudicar a própria causa, e sobre nem tudo ser motivo para se militar. Há uma ascensão do cancelamento em si como principal assunto, com opiniões como “Redes sociais estimulam o cancelamento” e “Não devemos cancelar os canceladores”.

​Durante o período da jornada de Lucas, houve ainda um grande pico de comentários sobre a seletividade da militância, impulsionados pela discussão sobre a insistência de Karol Conká que culminou com seu beijo em Arcrebiano. Esta opinião segue entre as mais frequentes até o fim do período estudado.

Com a saída de Lucas e a constante militância de Lumena, a conversa voltou-se para os prejuízos trazidos pela militância às próprias causas, e pelas razões pelas quais se militou na casa. Também foram alvos de críticas os militantes em si, com crescimento de incidência das opiniões “militantes são chatos”, e “não gosto de militantes”.

Twitter disponibiliza Spaces para Android

A partir desta terça-feira, 02, o Twitter passará a disponibilizar a função Spaces para os dispositivos Android. As pessoas que utilizam esse sistema operacional poderão participar das conversas em áudio como oradores ou ouvintes. Desde dezembro, a empresa estava testando esses espaços para bate-papo e já havia liberado as funcionalidades para o iOS.

As pessoas poderão entrar no Spaces a partir de um link compartilhado (via Tweets ou Mensagens Diretas) ou então pela barra dos Fleets quando o contato estiver com o círculo roxo ao redor da foto. Pessoas no Android também podem usar reações com emojis, ver legendas e ser convidadas a falar em um Spaces. Ainda há mais recursos por vir.

Os testes foram iniciados com um pequeno grupo de pessoas no iOS e está sendo expandido para diferentes comunidades no Twitter. A plataforma está trabalhando para oferecer a todas as pessoas a capacidade de criar e hospedar Spaces no Android e iOS em breve. Para atualizações em tempo real e para dar feedback direto, siga a conta do @TwitterSpaces .

Sony Channel confirma sexta temporada de Shark Tank Brasil

Crédito: Guido Ferreira & Sony Channel

O Sony Channel confirmou a produção da sexta temporada do Shark Tank Brasil, e a abertura das inscrições para empreendedores que desejam participar do reality, já disponível no site do Sony Channel. As inscrições devem ser feitas até 30 de maio.

Programada para começar a ser filmada ainda este semestre, a sexta temporada de Shark Tank Brasil contará com 13 episódios, que – assim como as temporadas anteriores – será uma coprodução entre Sony Pictures Television (SPT) e Floresta Produções.

Com grande aceitação no Brasil, o popular reality show de negócios e empreendedorismo já atingiu mais de 10 milhões de pessoas * no país nos últimos cinco anos. Atualmente, o canal do programa no YouTube reúne mais de 400.000 assinantes. Nas últimas cinco temporadas, o Sony Channel exibiu 74 episódios do Shark Tank Brasil, com um total de 296 negócios apresentados aos Sharks.

A premiada franquia Shark Tank é baseada no reality Dragons’ Den, criado pela Nippon TV, no Japão, e distribuída ao redor do mundo pela SPT. O programa oferece a empreendedores a oportunidade de lançar suas ideias de negócios para grandes investidores, conhecidos como “Tubarões”, na esperança de conseguir fundos de investimento. Dragons’ Den foi adaptado com êxito e já cativou audiências em mais de 40 territórios em todo o mundo, incluindo Austrália, Canadá, França, Alemanha e Estados Unidos.