Novo estudo da BR Media analisa presença de influenciadores digitais nas emissoras de TV

Novo estudo da BR Media analisa presença de influenciadores digitais nas emissoras de TV

Levantamento desenvolvido pela consultoria líder em marketing de influência mostra que os nativos digitais se tornaram tão influentes e relevantes ao ponto de, cada vez mais, ocuparem espaços na telinha como protagonistas 

Da tela do celular para a tela da tv. Cada dia mais conhecidos e reconhecidos, não somente nas redes sociais, os influenciadores digitais estão conquistando espaço também na televisão, marcando presença em programas de grande audiência nacional. A BR Media Group, consultoria líder em marketing de influência no Brasil, apresenta um novo estudo que mostra como as emissoras estão buscando perfis com alta relevância no seu segmento e são levados para TV com intuito de gerar audiência e criar a sensação de pertencimento do púbico.

Desde 2003, as emissoras de televisão vêm disputando espaço com a internet. Possibilitando um acesso prático e rápido, o ambiente digital virou uma das principais fontes de informação e entretenimento. Com a crescente desse movimento, as emissoras precisaram se adequar ao fluxo, incluindo influenciadores na sua programação.  

Diferente da televisão, a conexão e interação direta com os seguidores geradas no ambiente digital e expostas por meio de recortes diários aproximam o público do influenciador de maneira que o primeiro elege o outro como sua nova celebridade. “Os criadores de conteúdo não são escolhidos para participar de um programa apenas pela quantidade de seguidores que o perfil tem, mas principalmente pela relevância que o criador de conteúdo tem no segmento que atua”, comenta Cassiano Barletta, sócio e diretor de Criação da BR Media Group.

“O BBB é um ótimo exemplo dessa migração do criador de conteúdo do digital para televisão, em 2020 o programa ressignificou e rejuvenesceu trazendo nomes das redes sociais, como Rafa Kalimann, Pyong Lee e Bianca Andrade, para participar do reality”, complementa Barletta. 

Essa é uma tendência que só aumentará no futuro. “É um movimento em ascensão que deve refletir ainda mais nos programas de auditório. O público já tem apego pelo influenciador e quer continuar consumindo seu conteúdo.”, conclui Cassiano.

Comments are closed