Author admin

Knewin analisa repercussão da Black Friday na imprensa e nas mídias sociais

A Knewin, empresa de tecnologia que usa inteligência artificial para transformar negócios, promoveu um monitoramento completo de mídias sociais, mídias jornalísticas e dados do Google durante o mês de novembro para entender a repercussão da Black Friday. A visibilidade midiática do assunto cresceu significativamente, já que de 2018 a 2020 as menções sobre o termo tiveram um aumento de 91,85% na imprensa, o que mostra a relevância dessas pautas relacionadas para os jornalistas e, acima de tudo, para os consumidores das marcas.

Entre os destaques da análise estão os termos “black friday” (463.562), #BlackFriday (25.555) e #blackfriday2020 (4.803). As contas mais mencionadas durante o período foram as varejistas: @magazineluiza @americanascom @submarino. O top 5 dos estados que tiveram mais pesquisas sobre o termo foram Distrito Federal e São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espirito Santo.

“Entender o comportamento do consumidor faz com que empresas tomem melhores decisões, por isso a Knewin buscou entender esse fenômeno da Black Friday por meio de um monitoramento completo”, aponta o CEO da Knewin, Lucas Nazário.

Impacto da COVID-19 no mês de novembro

“Devido ao prejuízo causado pela pandemia da COVID-19 à economia, a oportunidade para o mercado reaquecer foi o mês de novembro com a Black Friday, semana na qual empresas, sobretudo as do varejo, promoveram um grande desconto aos consumidores. A Knewin buscou entender um pouco mais sobre esse comportamento do consumidor por meio de um monitoramento” explica o CEO da Knewin.

Itens mais procurados e marcas com mais destaque no Twitter

Durante os dias 22 a 28 de novembro, o monitoramento da Knewin no Twitter mostrou que os bens de consumo mais procurados na Black Friday são: Iphone com 11162 tuítes, celular com 4046, Nike com 2876. O reflexo das ações das marcas nas redes sociais também foi surpreendente. A Magazine Luiza marcou como sendo a mais comentada, alcançando o quinto lugar nos Trending Topics do Twitter. Além dela, outras mais citadas no mês de novembro foram Submarino, Lojas Americanas e Kabum.


Overview das marcas na Black Friday

A Magazine Luiza e as Lojas Americanas investiram em promoções e descontos ao longo do mês e em lives especiais no dia 27. Submarino aproveitou o cashback e deu grandes descontos em produtos como livros e e-books, ganhando também destaque durante o mês de novembro. Quanto à Kabum, esta enfrentou altos e baixos. Muitos usuários elogiaram a qualidade dos produtos e a velocidade das entregas, enquanto outros denunciaram a empresa por fraude, alegando um aumento nos preços para diminuí-los no dia da Black Friday.

Fraude versus antecipação do Natal

A Black Friday também é um momento em que os consumidores antecipam as compras para o Natal. No entanto, muitos brasileiros apontam esse período como “Black Fraude”, em referência às falsas promoções e ao aumento de preços em lojas e em e-commerces. Por isso, a Knewin monitorou como esse assunto repercutiu nas mídias sociais. Os termos fraude, fake, falso(s) e falsa(s) aparecem em 4.072 tuítes na semana da Black Friday, repercutindo o problema das promoções enganosas e a desconfiança do público. Apesar disso, 2.522 menções mostram que há, sim, a intenção de compra dos brasileiros para antecipar os presentes de Natal.

Samsung reúne canais nacionais e internacionais para lançar seu streaming próprio: Samsung TV Plus

A Samsung lança nesta quarta-feira mais uma novidade para o mercado de televisores e entretenimento. Os consumidores que possuem Smart TVs da marca com plataforma Tizen, ou seja, lançados a partir de 2020 e 4K ou superiores a partir de 2018¹ , já podem aproveitar a variedade e a qualidade dos canais disponíveis no Samsung TV Plus, o primeiro aplicativo de streaming desenvolvido pela empresa.

O Brasil é o 12º país a receber o Samsung TV Plus em todo o mundo² e o primeiro na América Latina. O serviço é totalmente gratuito e dispensa qualquer tipo de cadastro do usuário ou download. O app já estará disponível automaticamente nesta quarta para os modelos de TV lançados a partir de 2018 e, em breve, também chegará a algumas versões de 2017.

O Samsung TV Plus inicia sua trajetória no Brasil com 20 canais, mas é só o começo. A Diretora de Desenvolvimento de Negócios da América Latina, Aline Jabbour, explica: “Nosso serviço de streaming trará constantemente novidades na grade de canais, sempre diversificando temas e formatos para a melhor experiência no entretenimento do usuário”.

Neste primeiro momento, a grade conta com 20 canais, que podem ser conferidos na tabela ao final do texto. Em breve, novas atrações serão disponibilizadas.

Para acessar os conteúdos do Samsung TV Plus, o usuário precisa apenas ligar³ sua Smart TV Samsung e observar o hub de funções e aplicativos da plataforma Tizen. O app do streaming será o primeiro da lista e uma prévia dos canais já aparece acima sem necessidade de pressionar nenhum botão. Se quiser ver a grade completa, aí sim o usuário seleciona o ícone do app e confere todas as opções, distribuídas a partir de uma curadoria realizada pela Samsung e, posteriormente, adaptadas às suas preferências.

Nas configurações, o usuário pode ativar o controle parental para filtrar os conteúdos para as crianças. Enquanto o usuário assiste a um conteúdo, basta clicar para baixo no controle remoto para verificar outras atrações que estejam em andamento.

“As experiências multiplataforma são cada vez mais desejadas pelos consumidores. E no processo de ressignificação das TVs, que voltaram a ser o centro de lazer e entretenimento dos lares, ter um streaming tão variado e completo, criado pela própria Samsung, nos enche de orgulho. Esperamos que nossos consumidores tenham momentos divertidos”, ressalta Aline Jabbour.

Confira os canais que estarão disponíveis:

¹”Disponível para todos os modelos de 2020 e para TVs Samsung 4K (ou superiores) a partir do modelo de 2018. O conteúdo disponibilizado pode ser alterado e/ou descontinuado a qualquer tempo, sem aviso prévio. Necessária conexão à internet.”
²O Samsung TV Plus foi lançado em 2015 na Coreia do Sul. Hoje, o serviço está disponível nos Estados Unidos, no Canadá, na Inglaterra, na Alemanha, na França, na Itália, na Espanha, na Áustria, na Suíça, na Tailândia, na Austrália e agora no Brasil.

³ Necessária conexão à internet.

76% das empresas pretendem ampliar investimentos em marketing digital em 2021

O marketing digital crescerá de importância no próximo ano como estratégia de vendas das empresas. É o que revela a pesquisa Estratégias de Marketing Digital para 2021, elaborada pela Adaction, veículo de comunicação especializado em ações de mídia digital e Inflr, startup especializada em ações com influenciadores digitais. De acordo com o levantamento, 76,19% dos gestores de marketing e executivos pretendem ampliar os investimentos em marketing digital em 2021. Foram ouvidas 2.100 pessoas durante o mês de novembro. “As pessoas estão cada vez mais conectadas. O marketing digital já supera 50% dos investimentos em campanhas por ser mais assertivo”, diz Thiago Cavalcante, diretor da Adaction e da Inflr.

Até 2023, mais de 60% dos orçamentos em publicidade devem ser alocados para o ambiente online. Enquanto mercados mais maduros já estão consolidados, o Brasil ainda tem um espaço considerável para crescer tanto em acesso como nas mídias. O País já é o sétimo mercado do mundo em marketing digital e deve fechar o ano movimentando algo perto de US$ 18 bilhões nessas plataformas.

“Estamos presenciando a consolidação do digital como estratégia para alcançar o grande público”, analisa Cavalcante. Segundo ele, o momento ainda é de aprendizado por parte das empresas, pois muitos iniciaram suas campanhas digitais em meio à urgência provocada pelo isolamento social.

Chama a atenção na pesquisa o fato de 42,86% dos entrevistados nem sempre mensurarem os retornos de suas campanhas digitais e outros 9,52% não fazerem questão disso. “Da noite para o dia, as empresas precisaram se reinventar. Quem não tinha presença digital precisou criar campanhas do zero para garantir a própria sobrevivência. Em 2021, este movimento será bem mais forte”, explica.

A análise de Cavalcante vai ao encontro de outro dado da pesquisa. Nem todas as empresas estão plenamente satisfeitas com os resultados obtidos em suas campanhas de marketing. Segundo o levantamento, somente 28,57% dos entrevistados se mostraram muito satisfeitos e outros 52,38% responderam que os resultados vieram dentro das expectativas. O restante declarou não ter obtido bons resultados.

Sobre as tendências para 2021, a maioria das empresas aposta na divulgação de conteúdo qualificado (38,1%). “A qualidade do marketing do conteúdo vai falar alto em 2021. É notório que o engajamento sempre dependeu e vai depender cada vez mais disto. E vai se destacar quem apresentar as melhores soluções às necessidades dos consumidores por meio da oferta de informação qualificada na hora certa”, diz Cavalcante. Outros 28,57% acreditam no uso de inteligência artificial como grande tendência para o próximo ano. “No atendimento ao cliente, por exemplo, a tecnologia é utilizada para automatizar os processos, bem como desenvolver robôs de atendimento ou assistentes virtuais – conhecidos como chatbot – para interagir com o cliente via chat de site, rede social e aplicativos, entre outros”, complementa. Os Webinars também são apontados por 19,05% dos entrevistados como forma de atingir o consumidor, seguidos pela integração entre e-commerce e redes sociais.

Com relação às redes sociais, 33,33% dos entrevistados afirmam não ter preferência por canal e apostam em todos como estratégia de marketing. Já aqueles que focam em alguma mídia específica, a maior parte (28,05%) acredita que o Linkedin é o melhor canal, seguido de Facebook e Instagram (19,05% cada).

A estratégia de remarketing deve ganhar peso em 2021. Ao serem perguntados sobre quanto do seu marketing de influência ajuda na estratégia de remarketing, a maioria dos participantes da pesquisa 57,14% responderam que um apoia o outro, pois ambos se complementam. Outros 28,57% afirmaram não saber mensurar e o restante acredita que são coisas distintas.

Marketing de influência

As empresas pretendem também ampliar seus investimentos no marketing de influência em 2021. Hoje, 77,77% declaram que esta estratégia tem peso grande ou médio em seus investimentos em marketing. Já a possibilidade de contratação de um influenciador para as campanhas é uma realidade para 42,86% dos gestores que participaram do levantamento. Outros 38,10% não descartam a possibilidade de contar com um. “Ao trabalharem com influenciadores, as marcas têm a oportunidade de investir menos recursos e conseguirem falar diretamente com quem realmente se interessa por seus produtos e serviços”, lembra Cavalcante.

Os dados da pesquisa são corroborados pelas perspectivas de mercado. As projeções são de que o TAM (mercado total endereçável) do marketing de influência vá bater a casa dos R $10 bilhões em 2021. Entende-se por TAM o total de receita disponível no mercado para serviços envolvendo influenciadores. “A tendência foi impulsionada pela pandemia, que consolidou de vez a era do boca a boca digital ao destacar o poder de divulgação na internet”, ressalta.

Sobre que tipo de influenciador digital contratariam, os entrevistados apostam em pessoas que se identifiquem com o propósito da empresa (35%) e com aqueles que tenham informação e conteúdo qualificado (30%). Outros tipos de influencers citados são aqueles com que os internautas se identificam por exibirem histórias reais (20%) e os mais maduros (15%). Os mais jovens não foram citados pelos entrevistados.

Confira os destaques do Twitter no Brasil em 2020

O ano de 2020 foi diferente de tudo que foi visto nas últimas décadas. O mundo passa por um momento singular que trouxe novas rotinas, hábitos e tendências. E o Twitter foi o lugar onde as pessoas puderam se encontrar, participar de conversas e se informar sobre os mais diversos assuntos. A décima edição do #Aconteceu no Twitter – levantamento da plataforma sobre os principais temas abordados entre janeiro e novembro de 2020 – traz um retrato de como as pessoas passaram por este ano: como se mantiveram entretidas, as mudanças que geraram e as mensagens de apoio que compartilharam umas com as outras.

No Twitter, as pessoas se informaram sobre as últimas notícias e medidas de segurança; participaram de conversas em torno de assuntos divertidos como música, esportes e TV; engajar em importantes movimentos sociais e ambientais, e acompanhar, em tempo real, momentos decisivos que aconteceram em países espalhados pelo mundo.

Não é nenhuma surpresa que a hashtag principal deste ano no mundo foi #Covid19 – ela, e outras variações, foi Tweetada quase 400 milhões de vezes. Com grande parte do mundo ficando mais em casa, #FicaEmCasa (#StayHome em inglês) foi a segunda maior maior hashtag do ano no Brasil e a terceira globalmente. No Brasil, entre as principais hashtags estão #Covid19, #FicaEmCasa, #ChampionsLeague, #Eleições2020, #VidasNegrasImportam, #JuntosPeloPantanal, #SOSAmapá e #Beirute.

Pandemia

Com o anúncio da pandemia global de #Covid19, o Twitter foi um grande centro de informações e conversas sobre o assunto, reunindo desde notícias sobre o primeiro caso no Brasil, e de líderes e artistas que contraíram a doença, a pronunciamentos e opiniões sobre impactos econômicos no país e desdobramentos sobre a saúde dos brasileiros. A página especial de curadoria com informações confiáveis sobre a pandemia foi acessada por mais de 160 milhões de pessoas, mais de duas bilhões de vezes, em todo o mundo.

Isolamento social

A recomendação #FicaEmCasa levou as pessoas a buscar novas maneiras de se conectar e interagir, e trouxe grandes mudanças na rotina e hábitos. Entre os que puderam ficar em casa, diversos brasileiros expressaram o amor às plantas pelo Twitter. De janeiro a julho, as menções diárias a mãe e pai de planta tiveram um crescimento de 140%. Além da flora, muitas pessoas voltaram suas atenções para os animais: Tweets sobre pets cresceram mais de duas vezes no ano em comparação com 2019.

TV e música

Com as medidas de segurança e mais tempo em casa, o entretenimento foi forte aliado dos brasileiros durante a pandemia neste ano – 80% das pessoas no Twitter disseram que seus hábitos de consumo de entretenimento mudaram e 42% afirmou estar assistindo mais TV. Entre os reality shows, o Big Brother Brasil (@bbb) foi o mais comentado – no Brasil e no mundo, gerando mais de 270 milhões de Tweets – o equivalente a mais de dez vezes o número da edição de 2019. Completam a lista A Fazenda12 (@fazendarecord), De Férias Com o Ex (@MTVDeFeriasBR), MasterChef Brasil (@masterchefbr) e The Voice Kids (@thevoicekidsbr). Já entre as novelas, as reprises ganharam maior destaque: Avenida Brasil, Totalmente Demais e Fina Estampa foram as mais mencionadas na plataforma.

De acordo com o levantamento, o número de Tweets sobre música teve aumento de 38% em relação ao ano passado. E as lives fazem parte deste crescimento: no início da pandemia, entre março e abril, foram gerados 12 milhões de Tweets sobre os shows à distância. As lives mais comentadas foram comandadas pelos cantores Marília Mendonça (@mariliamreal), Luan Santana (@luansantana) e Péricles (@periclesfaria). E o sertanejo deu o que falar: as conversas sobre o gênero cresceram mais de duas vezes em comparação ao ano passado no Twitter.

Esportes

Apesar de ter ficado paralisado em todo mundo durante parte do ano, o esporte continuou sendo tema de diversas conversas no Twitter – em 2020, foram contabilizados 241 milhões de Tweets no Brasil. E quando o tema é esporte, Neymar ( @neymarjr ) continua sendo grande destaque na plataforma. Além de ser o atleta mais mencionado, o Tweet publicado pelo jogador sobre sua preparação para a partida das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa foi o mais Retweetado do ano no Brasil. Gabriel Barbosa ( @gabigol ), Cristiano Ronaldo ( @Cristiano ), Everton Ribeiro ( @evertonri ) e Lionel Messi também figuraram na lista dos atletas de maior menção no Twitter. Entre os clubes mais comentados, Flamengo ( @flamengo ) ficou na liderança, seguido de Vasco da Gama ( @VascodaGama ), Corinthians ( @Corinthians ), Fluminense ( @FluminenseFC ) e Palmeiras ( @Palmeiras ).

Tweeteiros

As diversas interações de Tweeteiros na plataforma também geraram muitas conversas no Brasil. Luscas ( @luscas ) foi o mais comentado no país pelo segundo ano consecutivo. Também estão na lista Felipe Neto ( @felipeneto ), Maisa Silva ( @maisa ) e Whindersson Nunes ( @whindersson ).

Política

No cenário político, o Twitter facilitou que as pessoas encontrassem e participassem das conversas sobre o assunto, além de dar acesso a notícias em tempo real e a oportunidade de ser parte dos debates sobre os mais diversos temas, incluindo as #Eleições2020 do Brasil e dos EUA. Globalmente, os políticos Donald Trump ( @realDonaldTrump ), Joe Biden ( @JoeBiden ), Barack Obama ( @BarackObama ), Narendra Modi ( @narendramodi ) e Kamala Harris ( @KamalaHarris ) figuraram entre as pessoas mais comentadas na plataforma neste ano.

Movimentos

O ano foi marcado por importantes movimentos sociais e ambientais que repercutiram no Brasil e no mundo. No Twitter, #VidasNegrasImportam (#BlackLivesMatter em inglês) foi tema de diversos debates, ao lado de #JuntosPeloPantanal e #SOSAmapá. A explosão em #Beirute também gerou grande movimentação, já que a plataforma foi fonte de informação em tempo real sobre o assunto.

Confira as listas dos mais comentados no Twitter no Brasil em 2020 divididos por categorias:

Atletas

• Neymar (@neymarjr)

• Gabriel Barbosa (@gabigol)

• Cristiano Ronaldo (@Cristiano)

• Everton Ribeiro (@evertonri)

• Lionel Messi

• Giorgian De Arrascaeta ( @GiorgiandeA )

• LeBron James ( @KingJames )

• Bruno Henrique ( @Brunohenrique )

• Robinho ( @Robinho )

• Philippe Coutinho ( @Phil_Coutinho )

Clubes

• Flamengo (@Flamengo)

• Vasco da Gama (@VascodaGama)

• Corinthians (@Corinthians)

• Fluminense (@FluminenseFC)

• Palmeiras (@Palmeiras)

• São Paulo ( @SaoPauloFC )

• Grêmio ( @Gremio )

• Cruzeiro ( @Cruzeiro )

• Internacional ( @SCInternacional )

• Atlético-MG ( @Atletico )

Bandas e cantores

• BTS ( @bts_twt )

• Manu Gavassi ( @manugavassi )

• Louis Tomlinson ( @louis_tomlinson )

• Any Gabrielly ( @anygabrielly )

• BLACKPINK ( @blackpink )

• Anitta ( @anitta )

• Marília Mendonça (@mariliamreal)

• Justin Bieber ( @justinbieber )

• EXO ( @weareoneEXO )

• TWICE ( @jypetwice )

Lives

• Marília Mendonça ( @mariliamreal )

• Luan Santana ( @luansantana )

• Péricles ( @periclesfaria )

• Gusttavo Lima ( @gusttavo_lima )

• One World: together at Home

• Bruno e Marrone ( @brunomarroneweb )

• Zé Neto e Cristiano ( @ZNC_Oficial )

• Ludmilla ( @Ludmilla )

• Anitta no Festival Latinos Unidos (@anitta)

• Henrique e Juliano ( @HeJOficial )

Reality/talent shows

• BBB 20 ( @bbb )

• A Fazenda 12 ( @fazendarecord )

• De Férias Com O Ex ( @MTVDeFeriasBR )

• MasterChef Brasil ( @masterchefbr )

• The Voice Kids ( @thevoicekidsbr )

Novelas

• Avenida Brasil

• Totalmente Demais

• Fina Estampa

• Amor de Mãe

• A Força do Querer

• Apocalipse

• Salve-se Quem Puder

• Malhação – Viva a Diferença

• Éramos Seis

• As Aventuras de Poliana

Programas de TV

• Jornal Nacional ( @jornalnacional )

• Fantástico ( @showdavida )

• Cidade Alerta ( @cidadealerta )

• Jornal Da Record ( @jornaldarecord )

• Encontro ( @EncontroFatima )

Filmes

• Os Vingadores: Ultimato ( @Avengers )

• Pantera Negra ( @theblackpanther )

• Frozen 2 ( @DisneyFrozen )

• Black is King

• Parasita ( @ParasiteMovie )

• A Barraca do Beijo 2

• Aves de Rapina ( @birdsofpreywb )

• Democracia em vertigem

• A Barraca do Beijo

• Batman ( @DCBatman )

Séries

• Grey’s Anatomy ( @GreysABC )

• Brooklyn Nine-Nine ( @nbcbrooklyn99 )

• The Vampire Diaries ( @cwtvd )

• The 100 ( @cwthe100 )

• Teen Wolf ( @MTVteenwolf )

• Riverdale ( @CW_Riverdale )

• Game of Thrones ( @GameOfThrones )

• Peaky Blinders ( @ThePeakyBlinder )

• How I Met Your Mother ( @OfficialHIMYM )

• The Walking Dead ( @TheWalkingDead )

Games

• League of Legends ( @LeagueOfLegends )

• Among Us ( @AmongUsGame )

• Minecraft ( @Minecraft )

• Fortnite ( @FortniteGame )

• VALORANT ( @PlayVALORANT )

• Grand Theft Auto

• The Sims ( @TheSims )

• Animal Crossing ( @animalcrossing )

• The Last of Us

• Garena Free Fire ( @FreeFireBR )

Emojis

• 🥺

• 😍

• 😔

• 🥰

• 😭

Tags, ,

Identificação de usuários sem precisar de cookies é possível

A Lotame (https://www.lotame.com), empresa especializada em soluções de enriquecimento de dados para conhecer os consumidores, apresentou Lotame Panorama ID, a primeira solução global para ajudar os profissionais de marketing e mídia a identificar usuários na web aberta, por meio de qualquer dispositivo ou plataforma digital, sem depender de cookies e alinhada às normas e às melhores práticas de privacidade e proteção de dados.

O ecossistema de marketing digital está em um momento de transformação. Os três maiores desafios que enfrentam são aumentar o retorno do investimento publicitário, obter benefícios imediatos, dar maior segurança a todos os integrantes da cadeia (anunciantes, agências, mídia e consumidores).

O bloqueio de cookies nos principais navegadores da Internet – como Safari, Firefox e em breve Chrome, bem como a eliminação da identificação de dados de publicidade móvel na Apple no próximo ano, acelerou a urgência de encontrar uma solução para identificar os usuários de forma mais eficiente. e transparente.

“Identidade é a prioridade do marketing digital atual. Os profissionais de marketing e mídia precisam de uma tecnologia que permita às marcas e aos meios de comunicação chegar aos consumidores, protegendo sua privacidade, sem o uso de cookies e com o objetivo de fazer publicidade útil, eficaz e responsável. O Lotame Panorama ID soluciona esses desafios criando uma solução de identidade baseada em pessoas, sua privacidade e acesso gratuito para todos os membros da publicidade digital através da web aberta “, diz Sebastián Yoffe, Diretor Geral da Latam & Hispânicos dos EUA em Lotame.

Encontrar uma solução para a identidade é essencial para a sobrevivência do ecossistema digital, fora dos limites do Google, Facebook e Amazon. Em relatório, o IAB revelou que, se o rastreamento digital terminar sem uma substituição, haverá uma transferência de US﹩32 bilhões a US﹩39 bilhões de receita de publicidade da web aberta para monopólios de dados até 2025″.

Criado para a web aberta, o Panorama ID é a única solução de identidade omnichannel global de acesso aberto que não depende de cookies de terceiros para segmentar consumidores.

Com o Panorama ID, os profissionais de marketing e mídia podem:

• Proteger a privacidade do consumidor: Lotame Panorama ID permitirá que os usuários escolham apenas uma vez, em algum ponto de sua jornada digital, se concordam em ser identificados anonimamente e sua escolha será refletida em tempo real em todos os pontos de contato digitais e dispositivos. O Lotame Panorama ID está alinhado com o GDPR, CCPA, LGPD e a Estrutura de Transparência e Consentimento do IAB 2.0, além de estabelecer novos benchmarks para proteger a privacidade do consumidor.

• Aumentar a precisão na segmentação e escalabilidade de anúncios: Lotame Panorama ID aproveita a coleção de dados mais abrangente do setor para encontrar com precisão o consumidor certo com a mensagem certa. Ele ajuda a combinar informações entre dispositivos e domínios com uma pessoa, integra mais de 90 plataformas de parceiros e dados de mais de 180 provedores em 58 países. A solução oferece a mais alta precisão, profundidade de perfil e escala por meio da web aberta.

• Avaliar as campanhas com eficácia: Lotame Panorama ID é baseado em pessoas, permitindo que a mídia e os anunciantes segmentem, avaliem e relatem campanhas com base em indivíduos reais.

• Limite de frequência por pessoa: Em alguns casos, um único anúncio pode atingir um usuário até 40 vezes por mês, isso gera uma superexposição que diminui a aceitação da propaganda pelo consumidor. Com Lotame Panorama ID, anunciantes e mídia agora podem controlar quantas vezes uma pessoa – não um dispositivo – vê um anúncio em todos os pontos de contato digitais. Isso ajuda os profissionais de marketing a proteger a reputação da marca, ao mesmo tempo que garante uma experiência positiva para os proprietários de inventário de anúncios.

• Trabalho em equipe: para colocar publicidade relevante e responsável em um nível individual, os profissionais de marketing e a mídia devem trabalhar juntos para garantir seus negócios no futuro. Lotame Panorama ID oferece uma linguagem comum para o ecossistema e uma ponte interoperável: da segmentação e entrega de anúncios à análise, otimização e atribuição.

• Aumentar a receita além da segmentação contextual: a mídia pode usar Lotame Panorama ID para acessar públicos que antes eram invisíveis por meio de navegadores da web e observar seus atributos e comportamentos multidimensionais, mesmo desde a primeira impressão. Eles podem ir além dos limites da segmentação contextual para ajudar os profissionais de marketing a alcançar clientes qualificados para públicos com base em suas paixões, comportamentos e interesses, em todos os dispositivos e domínios, bem como fora de suas propriedades. Isso abre novas oportunidades de monetização valiosas para a mídia, em face de um ambiente COVID-19 que continua a afetar a receita.

A Lotame Panorama ID segue os princípios estabelecidos pela Partnership for Responsible Addressable Media, da qual a Lotame é membro junto com a P&G, Unilever, Ford, GM, IBM, NBCUniversal, IPG, Publicis e outros líderes. de publicidade digital. Mais detalhes sobre como Lotame Panorama ID constrói um ecossistema digital conectado para todos podem ser encontrados em https://www.lotame.com/panorama / id

Consumidores preferem chat (51%) e WhatsApp (49%) quando precisam de SAC

Os canais Chat (51%) e WhatsApp (49%) ganham no gosto dos consumidores quando precisam contatar o SAC das empresas, independentemente do motivo de contato, ficando à frente do email (47%) e do telefone (43%), que aparece em 4º lugar. É o que revela uma pesquisa do Grupo Sercom, provedor de serviços e plataformas de customer experience, em parceria com o instituto de pesquisas Qualibest.

O gosto é pelo atendimento com interação humana. O que chama atenção é o sentimento de desgosto pelo atendimento por robô – quando a interação é com sistema que recebe as perguntas por texto ou voz, e fornece respostas automáticas ou pré-definidas. Quarenta e um por cento afirmam odiar falar ao telefone com atendimento por robô, 35% dizem não gostar de chat com robô e 31% não gostam de WhatsApp tendo que interagir com robô.

Os dados são da 1ª fase da pesquisa, realizada com 1081 brasileiros, entre 10 e 16 de março de 2020, no pré-pandemia, da qual as mulheres representaram 58% dos respondentes. A faixa predominante foi de 25 a 34 anos (57%), a classe social prevalente foi a classe B (53%) e a maioria do Estado de São Paulo (32%), sendo que a região sudeste contribuiu com 52% da amostra, a região Nordeste com 21%, a região sul com 16%, a Centro-oeste com 7% e a região norte representou 4% da amostra.

Quando se considera o motivo do contato, o estudo aponta que o telefone (com atendimento humano) é preferido por 40% dos entrevistados quando precisam resolver um problema, por 39% para fazer um cancelamento, e por 36% quando querem fazer uma reclamação. Já para comprar um produto ou contratar um serviço, o canal preferido é o site das empresas (31%), assim como para rastrear um pedido (29%), e para fazer um elogio (18%).

Segundo o levantamento, 94% disseram esperar mudanças no atendimento oferecido pelas empresas. Entre as modificações desejadas estão: mais agilidade, atendimento humanizado, funcionários mais bem preparados e aprimoramento de robôs.

Entre os aspectos mais intoleráveis quando se busca o SAC está a longa espera ao telefone (25%). Já o aspecto mais importante para a maior parte dos participantes (40%) sentirem satisfação no atendimento é ser atendido rapidamente no problema.

Dos 64% dos participantes que preferem o uso do SAC pelos canais digitais (WhatsApp, Telegram, aplicativo da empresa, redes sociais) em vez do atendimento tradicional (email, telefone, SMS): 28% preferem WhatsApp/Telegram, 28% preferem chat / bate-papo e 8% têm preferência pelas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, etc.).

Ainda assim, o atendimento 100% automatizado não é percebido como resolutivo pelos consumidores.

Bots ainda enfrentam resistência


Quando questionados se já tiveram uma necessidade solucionada por um robô, 57% afirmam que não, 39% dizem que sim e 5% dizem que nunca foram atendidos por um robô.

Além disso, 65% revelam que o robô não entendeu a solicitação, e que foi preciso a transferência para um atendente humano, enquanto 35% dizem que o robô entendeu a demanda.

Apesar da resistência aos atendimentos automatizados, essa é uma tendência que não deverá recuar. “A robotização é um caminho sem volta. Mas acredito que a mescla de atendimentos humanos com robotizados nunca vai deixar de existir”, afirma Elda Di Donato, diretora de transformação digital da Sercom, que antecipa a novidade de uma plataforma omnichannel para ser lançada em Janeiro pela companhia.

Segundo ela, a tendência é que os atendimentos simples, como cobrança, emissão de boleto ou cancelamento de serviço, por exemplo, sejam feitos por robôs. Os atendentes continuarão responsáveis por atendimentos mais complexos, que exijam preparação, conhecimento e treinamento.

Percepções pós pandemia


Para verificar se houve alterações na percepção do consumidor após o início do isolamento social nas cidades, a pesquisa foi repetida em setembro. A maior parte das opiniões se manteve, com oscilações mínimas. A maior diferença de opinião foi referente à crença do atendimento automatizado na próxima década. Houve um aumento de 9% entre aqueles que acreditam que falarão apenas com robôs em um prazo de cinco anos. Passou de 57% para 66% em setembro.

“A pandemia ensinou que investir em tecnologia é necessário. É preciso, cada vez mais, facilitar processos. Mas apesar do uso intenso dos bots, o humano sempre estará lá para resolver demandas com nível de dificuldade superior”, acrescentou Fernando Pompei, diretor comercial do grupo.

Setores campeões de demandas de SAC


No início de março, o setor de telefonia (fixo / celular e internet) foi o que mais teve demanda de SAC (Serviço de atendimento ao consumidor), recebendo 72% das solicitações de consumidores. Em segundo lugar ficou o setor de bancos (57%), depois o setor de TV a cabo (43%) e o de E-commerce (36%). Na rodada pós-pandemia, os setores que mais receberam demandas de SAC foram os mesmos, com pequenas variações percentuais.

O segmento de aplicativos (Ifood, Uber, Loggi, Rappi, entre outros) apareceu em 5º lugar em março (34%), e em setembro, foi o setor de eletroeletrônicos e móveis que ocupou a posição.

Aplicativos – Ao colocar uma lupa no setor, os 3 aplicativos mais usados neste ano, antes e pós-pandemia, foram: os de entregas de restaurantes, padarias, lanchonetes (83%), seguidos dos aplicativos de transporte (usados por 80% dos respondentes), e dos apps de compras em geral (60%). O quarto lugar que, em março, era ocupado por reservas de hotéis (38%), deu espaço para entregas de supermercado (39%).

O uso de aplicativos chama atenção pelo fato de registrar um bom índice de rápido atendimento quando se trata de pedir um produto ou serviço ou rastrear um pedido, tanto em março (70% disseram que conseguiram resolver rápido), quanto em setembro (71%). Mas os brasileiros revelam que quando precisam fazer um cancelamento (44% na 1ª rodada e 49% na 2ª rodada) ou buscar ajuda para um problema (47% na 1ª rodada e 56% na 2ª rodada), os aplicativos ainda demoram para resolver. O índice de pessoas que não conseguiram fazer um cancelamento por aplicativo em março é de 17% e, em setembro, de 16%.

Acima de tudo, fica comprovado que, independentemente do nível de inovação tecnológica das empresas, os cidadãos esperam assertividade nos atendimentos, menos transferências entre setores, robôs com mais opções de respostas e um tratamento mais atencioso.

Deezer anuncia Beatriz Oliveira como nova diretora de Marketing para o Brasil

Beatriz Oliveira. Foto: Roncca

A Deezer acaba de anunciar a contratação de três executivas que prometem fortalecer a marca, a presença e penetração da plataforma de streaming no Brasil. A empresa apresenta Beatriz Oliveira como diretora de Marketing, Gabriela Soutello como gerente de Social Media, e Marina Pappone como gerente de Contas. Com essa tríade de peso para o time do Brasil, fecha-se o ciclo de reestruturação do time base local e dá-se início ao período de planejamento estratégico para 2021.

Beatriz Oliveira, que passou boa parte da infância no mar, a bordo de um veleiro, em Paraty, chega para liderar o time de Marketing e Estratégia de Negócios. Em sua carreira, trabalhou em grandes empresas de tecnologia, apoiando o time de vendas em geração de negócios por meio de ações de marketing. “O mar e o vento me ensinaram muitas coisas que me ajudaram na vida profissional. Muito importante você adaptar o seu barco ao que o vento manda, saber sobreviver e fazer mais com menos”, conta.

Foram sete anos de Oracle, onde liderou os times de eventos, digital e conteúdo, além de passagens por IBM, Eventbrite e Unisys. “Em 2018 sentia vontade de viver o mundo das start-ups/scale-ups e com toda a minha experiência em eventos fui para a Eventbrite como head de Marketing. Na sequência, tive o enorme prazer de ser a general manager no Brasil. Estruturei o time de vendas, marketing e CS na INTI, uma startup que faz parte do grupo T4F. E, agora, chego na Deezer super entusiasmada com o potencial de crescimento do negócio no Brasil e admirada com o time e a curadoria de conteúdo regional”, revela Beatriz.

Gabriela Soutello assume como a nova gerente de Social Media e será responsável por todas as atividades envolvendo a persona da Deezer e o posicionamento nas redes sociais da empresa. Amante da literatura, Gabriela é também escritora, e seu primeiro livro, Ninguém vai lembrar de mim, ganhou em 2019 o Prêmio Mix Literário, do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade. Ela já passou por redações como a TV Gazeta, assessorias de imprensa e agências de publicidade, DW Brasil, e teve seus últimos trabalhos relacionados a empresas como Wine/Wbeer, revista de bordo Vamos, da LATAM, Quem disse, Berenice? e Netflix Brasil.

“É uma alegria e um desafio estar à frente das redes sociais da Deezer e estou muito animada com a possibilidade de reestruturar a estratégia desses canais. Acredito que eles sejam fundamentais para estabelecer uma ligação real e direta entre público e marca. Não existe nada mais eficiente para gerar identificação e personificação em branding do que uma estratégia de conteúdo que leve em conta as vontades e tendências das conversas em tempo real nas redes e precisamos nos aproximar sempre mais disso. Quanto mais horizontal a relação entre a marca e o consumidor nesses canais, melhor”, conta a executiva.

A nova gerente de Contas, Marina Pappone, se junta ao time de parcerias estratégicas e sob sua gestão estarão parcerias como Americanas e Itaú. A carioca que vive em São Paulo e é fã de Guns n’ Roses desde a adolescência, já passou por Claro, TIM, Embratel e Oi, com atuação predominante em marketing de produtos e gestão de projetos. Atuou também na Microsoft, onde liderou a área de CRM/Marketing Analytics e foi responsável pelo programa de privacidade de dados da subsidiária brasileira.

“Estou muito feliz e super animada em fazer parte do time da Deezer no Brasil. Como não gostar de trabalhar com algo que junta música e tecnologia? Meu desafio será crescer e consolidar as parcerias existentes e trazer novas oportunidades de negócio. Minha experiência em gestão de produtos e projetos, e conhecimento da dinâmica do modelo de serviços por assinatura, com certeza me ajudarão nesse desafio. Vai ser muito trabalho, mas também muita diversão!”, diz Marina.

Marcos Swarowsky, diretor Geral da Deezer para Brasil e América do Sul, celebra o time completo e ainda mais forte. “O ano de 2020 tem sido desafiador para todos os mercados, mas seguimos investindo fortemente no Brasil e em nosso time para entregarmos o melhor conteúdo e o melhor produto para o nosso público. Com a chegada desse novo squad, com mulheres talentosas e competentes, tenho a certeza de uma perspectiva ainda mais positiva para os próximos anos, envolvendo o crescimento do número de usuários de streaming de áudio na Deezer no país”, afirma.

Vídeo ou foto? Saiba qual formato de Stories engaja mais

 Que o stories é a ferramenta queridinha dos influenciadores e seguidores, isso a gente já sabe. Mas, o que muitos se perguntam é: o que engaja mais? Foto ou vídeo? A Squid, empresa líder em marketing de influência e comunidades do Brasil, lançou a nova versão da pesquisa “A Hora do Rush dos Stories” e constatou que o formato predileto entre o público são as postagens em vídeo, com cerca de 54% do volume de conteúdos postados nesse formato. Os vídeos também contam com maior engajamento, representando 72%, quando comparado com fotos.

Segundo a Isabela Ventura, CEO da Squid, o conteúdo postado no feed tem um maior trabalho estético, tanto na aplicação de filtros, quanto na construção de legendas e aplicação de hashtags. Já os stories são um formato que privilegia o real e espontâneo. “Os stories são mais verdadeiros e são muito explorados pelos criadores de conteúdo por contar com recursos como enquetes e perguntas que geram maior interação com seus seguidores. Trata-se de uma ferramenta rápida e dinâmica, que não precisa ser muito elaborada, mas que traz um engajamento instantâneo”, explica a CEO.

Amazon e Magazine Luiza são as marcas mais citadas no Twitter durante a Black Friday

A Black Friday se popularizou de vez no país, oferecendo promoções aguardadas por meses pelos consumidores. E a data movimentou as pessoas no Twitter, tornando o Brasil o segundo país que mais Tweeta sobre Black Friday no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. O levantamento realizado pelo Twitter aponta as dez marcas mais mencionadas pelas pessoas que usam a plataforma até o último domingo, 29 de novembro. A lista traz segmentos diversos, desde varejistas, aplicativos de entrega, marcas de beleza, de material esportivo e banco.

Confira abaixo o ranking das dez marcas mais mencionadas pelas pessoas que usam o Twitter quando o assunto é Black Friday:

1. Amazon ( @amazonBR )

2. Magazine Luiza (@magazineluiza)

3. Americanas (@americanas)

4. Apple (@Apple)

5. Nike ( @Nike )

6. Nubank ( @Nubank )

7. O Boticário ( @oBoticario )

8. Rappi ( @RappiBrasil )

9. PlayStation ( @PlayStation_BR )

10. iFood ( @iFood )

Levantamento realizado entre 01 de janeiro e 29 de novembro

Assim como nos outros anos, a conversa sobre Black Friday no Twitter segue crescendo. Desde o início de 2020, foram contabilizados mais de 8,3 milhões de Tweets sobre o tema em todo o mundo. Isso significa um aumento de mais de três vezes no volume de conversas, já que em 2019 foram registradas 2,6 milhões de menções na plataforma. Neste ano, o Brasil ficou novamente na segunda colocação dos que mais falam sobre Black Friday no Twitter, atrás apenas dos Estados Unidos. O Japão aparece na terceira posição.

Vendas via influenciadores crescem 670% na Black Friday

O novo hábito de consumo por conta da pandemia da Covid-19 vem impactando o comércio eletrônico e, com a decisão de compra também na internet, na Black Friday não foi diferente. Segundo a rewardStyle, maior plataforma de monetização de conteúdo do mundo para influenciadores, a data teve um aumento impactante de 670% em vendas via influenciadores em relação à Black Friday do ano passado.

Com um crescimento de 240% no número de influencers na plataforma, os itens mais comprados no último dia 27 foram: Kit Wella Professionals Invigo, Máscara Capilar L’Oréal Professionnel Serie Expert Absolut Repair, Hidratante Facial Vichy Minéral 89, Perfume Lancôme Idôle Feminino, Esmalte Vult Unhas 5Free, 212 Vip Rose De Carolina Herrera Feminino, Relógio Digital Casio Vintage Unissex, Slip On Santa Lolla Caixa Alta, Bolsa Colcci Quebek e Jogo de panelas Tramontina Turim. O ticket médio foi R﹩ 207 .

Tudo isso porque vem crescendo a influência dos criadores de conteúdo digital na tomada de decisão na hora de comprar um produto. Somente durante a quarentena, o crescimento das vendas feitas via influenciadores foi de 107%, com 57% mais marcas em relação ao ano anterior, além da entrada de 219 novos influenciadores em todo o mundo.

Contar com a curadoria de um influenciador é quase como poder testar um produto, um serviço ou uma experiência olhando pela tela do seu celular. No mês passado, no período que antecede o Black November, a companhia detectou um aumento de mais de 282% no crescimento de vendas de e-commerce geradas pelos influencers, 77% de aumento na taxa de conversão – as pessoas estão, de fato, comprando mais online – , com 83% novos influencers na plataforma e um crescimento de 1083% nos influenciadores que geraram sua primeira venda neste mês.

A rewardStyle rastreia todas as vendas realizadas por influencers que usam links de varejistas parceiros, criados a partir da tecnologia exclusiva e que podem divulgar em todo o ambiente online, como blogs e mídias sociais. E a companhia faz parte do crescente mercado de marketing de afiliação, com uma rede de 100 mil influenciadores, 5 mil varejistas e 1 milhão de marcas globais em 87 países.