Tembici completa 70 milhões de viagens com bicicletas compartilhadas

Tembici completa 70 milhões de viagens com bicicletas compartilhadas

A Tembici, empresa líder em micromobilidade na América Latina, acaba de completar 70 milhões de viagens. A contabilização foi feita desde a inauguração do projeto Bike Rio, em 2011, e soma todas as viagens feitas com as famosas bicicletas nas cidades de Brasília, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, além de Buenos Aires e Nordelta na Argentina e Santiago no Chile.

Nessas setenta milhões de viagens, mais de 430 milhões de km foram rodados, o que corresponde a aproximadamente 15 mil voltas ao mundo. Vale apontar que 52% dos usuários da Tembici afirmam que fariam os deslocamentos em modos motorizados se não utilizassem as bicicletas, ou seja, foram evitados mais de 35 milhões de deslocamentos em motorizados.

Com todos os sistemas implementados pela Tembici, e patrocinado pelo Itaú Unibanco e iFood, o marco fomenta a importância das pedaladas na transformação das cidades. Segundo o estudo “Micromobilidade no sul global”, divulgado recentemente pela empresa com dados exclusivos, o uso de bicicletas compartilhadas no Brasil teve um aumento de 400% nos últimos 10 anos. Com o avanço da vacinação, a retomada das atividades de comércios e empresas, muitas pessoas optam pelas bicicletas para se deslocarem dentro das cidades. Somente em 2022 houve aumento de 27% no número de viagens com bicicletas compartilhadas, nas cidades onde a Tembici está presente, em relação a 2021.

As e-bikes no sistema contribuíram para o aumento de viagens. No mês de junho, as bikes elétricas chegaram a São Paulo, depois de uma experiência muito positiva no Rio de Janeiro, que registrou mais de 4 mil viagens em um único dia com as e-bikes, tanto com finalidade de deslocamento, quanto de delivery. As bikes elétricas também são uma excelente opção de modal na capital paulista.

“Há mais de uma década contribuímos com a mobilidade urbana na América Latina, para construir cidades mais democráticas e sustentáveis. E seguiremos investindo em tecnologia e dados, consolidação das bicicletas elétricas e o novo modelo de negócio focado no ciclo entrega junto a parceiros, que assim como nós, enxergam o potencial de revolução nesse mercado. Em todos os anos de nossa operação 31 mil toneladas de CO2 foram potencialmente evitadas”, ressalta Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici.

Operação no Brasil

Com mais de 10 anos de operação no país, o Bike Itaú reforça o compromisso das empresas envolvidas com o conceito de compartilhamento de bicicletas, mas também com a mobilidade sustentável. “O investimento de longa data no projeto de bikes é fruto da nossa visão da mobilidade ativa como elemento essencial para a construção das cidades do futuro”, comenta Luciana Nicola, diretora de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Itaú Unibanco. “Juntos, todos os parceiros nessa iniciativa, temos uma grande influência para incentivar cada vez mais o uso das bikes, a melhoria da infraestrutura e segurança para os ciclistas e também incentivar a intermodalidade no dia a dia”, completa a executiva.

O negócio ganha cada vez mais aderência para pessoas entregadoras que por meio do iFood Pedal, projeto lançado pelo iFood em parceria com a Tembici, compreende as diversas necessidades de uso desse público. “O iFood está comprometido em criar soluções sustentáveis, como o Pedal, que ao mesmo tempo utiliza energia limpa e gera mais ganhos para os entregadores parceiros. Até 2025, 50% das entregas do iFood deverão ser feitas com modais limpos. Além disso, vamos neutralizar antecipadamente a emissão de CO2 das entregas – que já ocorre desde julho de 2021. As bicicletas compartilhadas unem o nosso compromisso de incentivar modais não poluentes e encontrar soluções que permitam aos entregadores terem mais ganhos e menos custo no seu dia a dia”, aponta Fernando Martins, head de inovação logística do iFood.

Comments are closed