Pesquisa do Facebook mostra que 73% dos consumidores começaram a comprar de pequenos negócios de bairro durante a pandemia

O Facebook anunciou hoje duas novas pesquisas globais sobre os hábitos de compra dos consumidores durante a pandemia, e sobre o impacto da COVID-19 nas Pequenas e Médias Empresas (PMEs). Os estudos mostram que, apesar do início da flexibilização do comércio nas cidades, as vendas online continuam em alta (Relatório Situação das Pequenas Empresas), e que a pandemia mudou o hábito de compra das pessoas, que agora priorizam pequenos negócios de bairro.

Pesquisa do uso das ferramentas digitais pelo Consumidor , com a Deloitte, mostra que apesar da crise, pequenos negócios locais se beneficiaram da mudança de hábito dos consumidores, causada pela pandemia da COVID-19. Segundo o estudo, 73% dos consumidores começaram a comprar dos pequenos negócios de bairro durante a pandemia, motivados principalmente pela preocupação com a sobrevivência desses pequenos negócios. E a presença dos pequenos negócios nas plataformas sociais ajudam os consumidores a descobrir novos locais para suas compras. A pesquisa ainda mostra que:

• 48% dos consumidores entrevistados que começaram a comprar de novas pequenas empresas relataram que escolheram esses negócios porque estavam preocupados com a sobrevivência do pequeno negócio ou da comunidade local;

• 67% dos consumidores entrevistados que começaram a comprar de novas pequenas empresas relataram que escolheram essas empresas porque elas ofereciam melhores ofertas ou um serviço mais rápido;

• 54% dos consumidores pesquisados ​​que começaram a fazer compras em novas pequenas empresas relataram que as plataformas sociais os ajudaram a descobrir essas novas pequenas empresas (locais ou não locais);

• 39% dos consumidores entrevistados relataram que esperam gastar mais em pequenas empresas no futuro (locais ou não)

Maior parte da receita das PMEs vem do comércio online

Já a terceira edição do Relatório Global sobre a Situação das Pequenas Empresas (Global State of Small Business Report) – produzida pelo Facebook em parceria com o Banco Mundial e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – consolida a percepção de que as pequenas e médias empresas em funcionamento contaram com os benefícios da digitalização em seus negócios. Nesta terceira fase do levantamento, quase metade dos entrevistados no Brasil relatou que 50% ou mais de suas vendas foram provenientes do digital. Alguns números, referentes a empresas com Páginas operacionais no Facebook no mês de julho, explicam o motivo dessa mudança:

• 47% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook relataram que 50% ou mais de suas vendas foram feitas digitalmente no último mês (Julho),

• 52% dos proprietários e gerentes de PMEs relataram se sentir otimistas em relação ao futuro de seus negócios;

• 77% das PMEs lideradas por mulheres e 91% das pequenas e médias empresas lideradas por homens relataram que estavam em atividade e engajadas em alguma atividade geradora de receita.

O fluxo de caixa, porém, continua sendo um desafio para as pequenas e médias empresas brasileiras: 48% das PMEs em atividade consideram que isso será um desafio para elas nos próximos meses, contra 54% no levantamento anterior e 52% na primeira etapa da pesquisa, em maio. Essa preocupação pode ter relação com a queda nas vendas durante a pandemia: 58% das PMEs em atividade no Facebook no Brasil relataram que suas vendas no último mês foram menores do que no mesmo período do ano passado, e 38% das PMEs operacionais no Brasil relataram ter reduzido o número de funcionários/colaboradores para enfrentar a crise.

Sobre os estudos

Relatório Global sobre a Situação das Pequenas Empresas

Feito com 30 mil líderes de pequenas e médias empresas em mais de 50 países, começou a ser produzido em maio e faz parte de uma série que se encerrará em dezembro, com o objetivo de compreender, mês a mês, a situação das empresas ao redor do mundo, incluindo o Brasil, após as restrições causadas pela COVID-19. No Brasil, a primeira etapa da pesquisa foi realizada entre 28 e 31 de maio de 2020, com pelo menos 457 respondentes no Brasil, e a segunda entre 24 e 30 de junho, com ao menos 246 respondentes. Já a terceira edição foi realizada entre 24 e 30 de julho de 2020, com pelo menos 321 respondentes no Brasil. Para se qualificar para a pesquisa, os respondentes tinham que ser administradores ou donos de negócios com Página no Facebook.


Pesquisa do uso das ferramentas pelo Consumidor

Encomendada pelo Facebook, foi realizada em julho de 2020 com pelo menos 500 entrevistados em cada país. O objetivo da pesquisa da Deloitte foi avaliar como utilização das ferramentas digitais pelos consumidores se adaptou em relação às empresas durante a pandemia em 13 países, inclusive no Brasil. Os entrevistados foram questionados sobre suas opiniões e experiências relacionadas aos impactos do COVID-19 em suas atividades e engajamento com negócios por meio de ferramentas digitais e redes sociais. Após a coleta de dados, um processo de várias etapas foi usado para ponderação para ajustar a representatividade de acordo com as características demográficas, incluindo idade, sexo, educação e região, de acordo com as estatísticas populacionais online mais recentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *