Busca no Blog

Categorias

Arquivo

Nuvem de Tags

ACSP aplicativos apps Associação Comercial de São Paulo automóveis Black Friday Brasil carga tributária carreira comércio eletrônico consumo crm curitiba e-commerce Edson Campagnolo Facebook FIEP Fiesp Gartner gestão IDC impostômetro indústria inovação Intel internet Linkedin livro mercado de trabalho mobile mídias sociais Paraná Paulo Skaf redes sociais RH sebrae smartphones software startups tablets tecnologia tecnologia da informação turismo Valor Agregado vendas

Indústria corta 32,7% e investe R$ 53 bilhões a menos em 2015

Postado as 11:44 do dia 16/06/15

Pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostra que a indústria de transformação vai cortar neste ano 32,7% de seu investimento total em relação a 2014. O recuo representa R$ 53,3 bilhões a menos em máquinas, equipamentos e instalações, gestão, inovação e pesquisa e desenvolvimento (P&D). O valor despenca de R$ 163 bilhões no ano passado para R$ 109,7 bilhões em 2015. Em relação ao faturamento das empresas, o investimento total diminui de 6,9% para 4,8%. O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, lamenta a diminuição do investimento da indústria, de 3% para 2% do PIB, em razão do desempenho ruim de todos os seus setores.

“Quando há falta de demanda, falta de perspectiva e há insegurança, com a ameaça de mais impostos, e a indústria já sente falta de competitividade, o resultado disso é travar os investimentos”, afirma Skaf. “E travando investimentos, não há geração de empregos. O país interrompe o círculo virtuoso e entra no círculo vicioso de menos demanda, menos investimento, menos emprego – tudo aquilo que não serve ao Brasil.”

Conforme o levantamento, feito pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp, mais do que dobra a proporção das empresas industriais que não farão investimento nenhum – de 19,4% no ano passado para 44,4% neste ano.

O grosso da queda se concentra nos investimentos em máquinas, equipamentos e instalações, com R$ 41,5 bilhões (38%) a menos, indicando que a indústria não pretende aumentar sua capacidade de produção neste ano. Os empresários estão na defensiva, como costuma acontecer em períodos de recessão ou de baixo crescimento econômico. A preocupação com o baixo crescimento atinge 50% das empresas, nível recorde desde a primeira edição do levantamento, em 2009.

Nos investimentos em gestão, o corte deve ser de R$ 3,8 bilhões (23,7%). Inovação perde 18% em relação a 2014, ficando com R$ 3,8 bilhões a menos. P&D tem redução de 25% (recuo de R$ 4,1 bilhões).

Para a indústria, a carga tributária continua a ser o maior obstáculo ao investimento. A razão é apontada por 62% dos entrevistados. “O governo precisa esquecer esse negócio de aumentar impostos”, diz o presidente da Fiesp. “Ele precisa reduzir suas despesas, se possível reduzir os impostos, aumentando a competitividade dos setores produtivos brasileiros, e reduzir juros. É isso que tem que fazer. É justamente o contrário do que está fazendo.”

A pesquisa reflete a análise de Skaf. A maioria (59%) dos empresários entrevistados considera que a diminuição da carga tributária contribuiria para a retomada dos investimentos. E 42% (em questionário que permite resposta múltipla) acham que o aumento da taxa de crescimento da economia estimularia os investimentos.

“Lamentavelmente, o pior desta situação, deste círculo vicioso de menos demanda, menos confiança, menos investimento, é menos emprego. Não há nada que seja pior para o país do que o desemprego. O governo, aumentando juros e aumentando impostos, está realimentando ou alimentando o desemprego”, conclui Skaf.

Pequenas cortam mais

A análise pelo porte da empresa mostra que as pequenas vão cortar mais, em termos relativos. Entre elas, a redução do investimento total será de 42,8%. As médias devem cortar 38,8%, e as grandes, 29,3%.

A pesquisa foi realizada com 1.205 empresas no Estado de São Paulo entre 9 de março e 15 de maio de 2015, envolvendo toda a indústria de transformação, exceto fabricação de coque e produtos derivados do petróleo. Foram ouvidas 501 empresas pequenas, 433 médias e 271 grandes. Para permitir a análise nacional, os resultados da Pesquisa Fiesp de Intenção de Investimento 2015 foram expandidos segundo a Pesquisa Industrial Anual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PIA/IBGE).

Related posts:

  1. Skaf prevê queda de 5% da indústria em 2015
  2. “O que o governo conseguiu até agora foi virar a indústria de ponta-cabeça”, diz Skaf sobre juros
  3. “Quem liga as máquinas também sabe desligá-las”, diz Skaf
  4. Paulo Skaf: “Brasil não precisa de juros maiores”
  5. Fiesp: Indústria de transformação do Brasil pode perder 290 mil postos de trabalho com o fim da desoneração

Comente! / Empresas, Finanças, Gestão

Os comentários estão fechados.

Enquete

O QUE VOCÊ PROCURA NO VALOR AGREGADO ?

View Results

Loading ... Loading ...

Twitter


Notice: Undefined variable: twits in /var/www/html/gilbertocampos.com.br/web/wp-content/themes/valor-agregado/functions.php on line 34

Vídeos

veja mais

Todos os direitos reservados


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/html/gilbertocampos.com.br/web/wp-content/plugins/addthis-welcome/views/page_include.php on line 14

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/html/gilbertocampos.com.br/web/wp-content/plugins/addthis-welcome/views/page_include.php on line 16

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/html/gilbertocampos.com.br/web/wp-content/plugins/addthis-welcome/views/page_include.php on line 18

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/html/gilbertocampos.com.br/web/wp-content/plugins/addthis-welcome/views/page_include.php on line 20